8 verdades sobre a lipoaspiração

Tratamento estético não emagrece e o resultado pode demorar até um ano para ser notado

8 verdades sobre a lipoaspiração

Ter o prazer de se olhar no espelho e ver que aquelas gordurinhas simplesmente desapareceram da noite para o dia é o desejo de muitas mulheres. Só que a lipoaspiração não funciona com um passe de mágica. O pós-operatório é bem doloroso e o resultado demora meses para ser visto, sabia?

Para esclarecer de vez as dúvidas sobre este tratamento estético tão cobiçado pelas mulheres que não abrem mão de ter um corpo perfeito, o cirurgião plástico Ruben Penteado, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e diretor do Centro de Medicina Integrada, em São Paulo, selecionou oito informações essenciais que toda paciente que pretende fazer lipoaspiração precisa saber:

1. Lipoaspiração não faz você perder peso. Se você achava que o ponteiro da balança ia despencar depois do procedimento, é bom rever seus conceitos. A lipoaspiração tem como objetivo a melhora do contorno corporal através da remoção de limitadas quantidades de gordura localizada. A meta primária não é a perda de peso. 

2. O procedimento só remove gorduras localizadas. Sabe aquelas sobras debaixo dos braços, nos quadris e na região abdominal, que são difíceis de eliminar apenas com exercícios físicos? O procedimento serve para isso. Caso você tenha uma preguiça enorme de malhar e pensa em retirar excessos de gordura com lipo, atenção: "Isso só seria possível se, mesmo com vida sedentária, o peso estivesse próximo ao ideal e com pequenas quantidades de gordura localizada. Mesmo assim, com este estilo de vida, a perda do resultado em pouco tempo é muito mais provável", diz Dr. Ruben.

3. Há um limite de gordura a ser retirada. De acordo com o Conselho Federal de Medicina, só pode ser retirada de 5% a 7% do peso corporal original. Portanto, se a quantidade de gordura em excesso que você possui no corpo está acima de 10%, saiba que o resultado da lipoaspiração não será satisfatório.

4. A lipoaspiração pode ser úmida ou seca. A úmida é aquela em que o cirurgião injeta substâncias como soro fisiológico, adrenalina, anestésico ou outros compostos no local a ser aspirado. Na seca, não há esta infiltração prévia. Recomenda-se a úmida para áreas maiores, pois oferece um menor sangramento. Mas são a preferência e a experiência do cirurgião que vão prevalecer na escolha da técnica. Na úmida o médico pode retirar até 7% do peso corporal do paciente. Na seca, o limite é de 5%.

5. O resultado não aparece do dia para a noite. Toda cirurgia provoca algum trauma nos tecidos, causando um processo inflamatório no local com edema (inchaço). O desaparecimento desse inchaço e a reacomodação da pele podem demorar uns 30 dias. Por se tratar de um tecido mole, a gordura, cuja drenagem natural é mais demorada, o resultado final que se vê após este processo é mais tardio, em geral de quatro a seis meses. Drenagens linfáticas manuais no pós-operatório ajudam no processo. E o resultado definitivo é percebido somente após seis meses e, em alguns casos, um ano, após a lipoaspiração.

6. Lipoaspiração não elimina flacidez. Por esse motivo o bom resultado do procedimento depende da pele do paciente, que deve ser elástica. Só nessas circunstâncias, após a retirada de gordura, a pele se retrai e se acomoda na região. "A flacidez de pele em abdômen, pernas, braços e mamas só pode ser tratada através da remoção cirúrgica do excesso. A lipoaspiração em áreas com muita flacidez local deve ser realizada com muito critério, sob o risco de piora do problema", alerta Dr. Ruben.

7. Após a lipoaspiração o paciente até pode se descuidar e engordar, mas só um pouquinho. Pequenos aumentos de peso serão distribuídos por todo o corpo. Mas se uma paciente de 55kg aumentar mais que 10% de seu peso, dependendo de sua altura provavelmente estará descontente com sua silhueta. Portanto, a lipoaspiração deve sempre ser acompanhada de bons hábitos, para que seus resultados sejam potencializados e duradouros. "A região lipoaspirada melhora o contorno corporal. Por isso, se houver um aumento de peso, pequeno ou moderado, não ocorrerá perda do resultado" diz Penteado.

8. O pós-operatório é dolorido sim! Cada mulher reage de modo diferente à dor, mas, segundo o especialista, todas as ex-operadas declaram que sentiram dor, que fica mais perceptível no dia seguinte, quando o efeito da anestesia passa. "Prepare-se para uns 15 dias de incômodo, mas saiba que os cirurgiões costumam indicar analgésicos durante o período", finaliza Dr. Ruben.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Últimas