Ácido hialurônico ou toxina botulínica?

Saiba qual o método mais indicado para você!

Ácido hialurônico ou toxina botulínica

Cuidar do rosto no dia a dia é fundamental. E tudo começa com a proteção da pele com o uso do filtro solar. Mas mesmo tomando alguns cuidados importantes, o tempo acaba causando seus efeitos e, então, começam aparecer manchas e rugas, além do enfraquecimento da musculatura. Hoje, há como amenizar ou, dependendo do grau, acabar com esses danos, por exemplo, por meio das conhecidas aplicações de ácido hialurônico e toxina botulínica tipo A.

Ao visitar um médico, com certeza, ele indicará o melhor procedimento para você. No entanto, vale conhecer detalhes das duas substâncias. De acordo com a Dra. Luciana Hitomi, médica especializada em medicina estética, da Clínica Slim Clinique, o ácido hialurônico é encontrado em grande quantidade na pele, conferindo hidratação, sustentação, volume e elasticidade.

Produzido em laboratório, o ácido hialurônico sintético pode ser utilizado no preenchimento de rugas, sulcos e cicatrizes, inclusive, de acne; no aumento do volume de lábios, maçã do rosto e definição do arco da mandíbula; hidratação; e, mais recentemente, no aumento de volume dos seios e glúteos. "A aplicação é simples e rápida, sendo que dependendo da área tratada pode ser usado creme anestésico 30 minutos antes do procedimento ou, até mesmo, anestesia local", explica a médica.

Em relação à toxina botulínica, ela explica que se trata de uma substância empregada para bloquear a contração da musculatura onde é aplicada e também para bloquear a atividade das glândulas sudoríparas. "Com isso, é ideal para o tratamento de rugas dinâmicas, por exemplo, na testa e em volta dos olhos, e de hiperidrose (doença que faz com que haja a produção excessiva de suor) nas axilas e palmas das mãos e dos pés, além do relaxamento da musculatura do pescoço para melhorar o contorno mandibular", detalha a Dra. Luciana.

Ainda de acordo com ela, neste caso, o procedimento é realizado após documentação fotográfica e marcação dos pontos onde deve ser aplicada a substância. Assim como acontece com a aplicação de ácido hialurônico sintético, nos pacientes mais sensíveis pode ser usado creme anestésico 30 minutos antes. Então, são dadas injeções nos pontos previamente marcados.

"A avaliação correta do fotoenvelhecimento da face determina a escolha da substância. Se recomendados, os dois procedimentos podem ser realizados simultaneamente", afirma a especialista, destacando que a aplicação dessas substâncias não é recomendada para gestantes e mulheres que estejam amamentando.

Ela ainda revela que os tratamentos com ácido hialurônico sintético têm resultados que duram de 10 a 12 meses, enquanto com toxina botulínica, entre 4 e 6 meses. "Apesar dos resultados serem temporários, observa-se que se o paciente realizar os procedimentos periodicamente, ao longo dos anos, haverá o estímulo da produção de colágeno", finaliza a Dra. Luciana.

Por Fernanda Oliveira (MBPress)

Comente

Últimas