Bulimia

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Bulimia

Foto: Jag Joner

A preocupação constante com a aparência é uma exigência social que está intimamente ligada à nossa auto-estima. A imagem que queremos causar, num mundo onde cada segundo conta e onde a primeira impressão é a que fica, muitas vezes nos torna escravos de nós mesmos. Perdemos o peso e a medida, queremos tanto estar inseridos no contexto que perdemos o próprio contexto de vista.

Esta complicada explicação sobre a ditadura da imagem pessoal ilustra bem o procedimento que leva muitos de nós ao espelho cheios de críticas. Mas até onde estas impressões e críticas são verdadeiras? Sem saber você pode estar desenvolvendo sintomas de distúrbios alimentares por se preocupar demais.

"A bulimia nervosa é um transtorno mental que cursa com ingestão episódica, descontrolada, compulsiva e rápida de grandes de alimentos durante um curto período de tempo (compulsão periódica) seguida pela auto-indução de vômito, uso de laxantes, diuréticos ou exercícios vigorosos para evitar o ganho de peso." afirma o Dr João Figueiró, médico psicoterapeuta Hospital das Clínicas - FMUSP.

Traduzindo: você come, come, come tudo o que vê pela frente como se nunca tivesse visto comida na vida, e depois, muito culpado dá um jeito de por tudo para fora. Uma compulsão seguida de uma purgação.

Um dos sintomas é justamente se exercitar em excesso correndo atrás das calorias acumuladas, coisa que a maioria das pessoas acha até bastante normal.

Veja alguns indícios que ajudam na hora de diagnosticar a doença

Apresenta episódios recorrentes de compulsão periódica. Que é caracterizado por ambos dos seguintes aspectos:

  • ingestão, em um período limitado de tempo de uma quantidade de alimentos definitivamente maior do que a maioria das pessoas consumiria durante um período similar e sob circunstâncias similares;]
  • um sentimento de falta de controle sobre o comportamento alimentar durante o episódio (por ex. um sentimento de incapacidade de parar de comer ou de controlar o que ou quanto está comendo).
  • Apresentar comportamento compensatório inadequado e recorrente, com o fim de prevenir o aumento de peso, como auto-indução de vômito, uso indevido de laxantes, diuréticos ou outros medicamentos, jejuns ou exercícios excessivos.
  • A freqüência deste comportamento de compensação e compulsão ocorrre em média pelo menos duas vezes por semana, por 3 meses.
  • A auto-avaliação da aparência é indevidamente influenciada pela forma e peso do corpo.
  • O distúrbio não ocorre exclusivamente durante episódios de anorexia nervosa.
  • Existem dois tipos de bulimia:

    1 - tipo purgativo: durante a crise, o individuo envolve-se regularmente na auto indução de vômitos ou uso indevido de laxantes e diuréticos.

    2 - tipo sem purgação: neste caso o individuo usou outros métodos para se livrar da cupla, igualmente inadequados, tais como: jejum ou exercícios físicos excessivos.

    Este problema, que andou sendo muito discutido devido ao comportamento demonstrado num Reality Show por parte de uma integrante vaidosa inicia-se geralmente na adolescência, na idade entre os 16 e 18 anos abrangendo uma faixa de 1- 3% das jovens. É mais comum entre as mulheres de maneira geral, ocorrendo na população com uma proporção de 10:1.

    Em muitos casos, estas moças apresentam problemas familiares, com amigos ou quadros de depressão. Podem refletir uma cobrança social e uma pressão muito grande numa fase de muita insegurança. Algumas pessoas chegam a roubar alimentos e comê-los escondidos e usar o álcool de forma excessiva.

    O tratamento é feito com uma combinação de esforços, do médico, de um psicólogo e algumas vezes um nutricionista. O importante é que a pessoa crie consciência de que só está fazendo mal a si mesma e que, de maneira nenhuma está ficando mais bonita. A beleza está na saúde e não na doença, e cada um deve aprender a apreciar seu próprio tipo físico. Todas são bonitas e sexys, as baixinhas, as gordinhas, as magrelas... etc. Se você não está satisfeita com o seu corpo, - bem, e quem está?- procure uma maneira saudável de chegar ao peso desejado e conquistar as curvas dos seus sonhos. Estas soluções imediatas e completamente inadequadas podem acabar simplesmente afastando você mais ainda do que deseja conquistar. Pense: o que você deseja conquistar?

    Leka conta como é ter a doença

    Colaborou João Figueiró - Médico Psicoterapeuta

    Hospital das Clinicas - FMUSP

    email: jfigueiro@uol.com.br

    • Facebook
    • Pinterest
    • Twitter
    • Google+

    Comente

    Últimas