Danielle Zangrando

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Danielle Zangrando

Foto por: Marcilio Gazzinelli.

Quem diria que uma atleta que treina três vezes ao dia durante quatro horas tem problemas com peso? Ninguém, não é verdade? Mas quem conhece a judoca Danielle Zangrando sabe que isso é possível.

Chocólatra assumida, a esportista de 28 anos não esconde que já foi muito descontrolada para comer, mas aprendeu com o tempo a ter limites.

Medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos do Rio de Janeiro (2007), ela começou a praticar judô para seguir os passos do irmão, hoje dentista, e conquistou seu espaço no esporte. Mesmo com a fama e destaque, Danielle tem seus percalços. Já sofreu com o peso, descobriu recentemente que tem hipertireoidismo e ainda leva broncas da mãe para cuidar mais do seu visual.

ENTREVISTA AO CYBERDIET Você chegou a praticar outros esportes antes de começar judô? Sofreu preconceito inicialmente?

Pratiquei vários esportes no colégio, disputava de tudo, desde futebol até atletismo. Mas como sempre acompanhava meu irmão (Denis, que hoje é dentista) e o via fazendo judô, decidi arriscar. Fiz um treino e o técnico gostou do meu estilo, mas naquela época não tinha muitas mulheres que praticavam o esporte. Então, o técnico teve que falar com meu pai, para que ele me liberasse. A partir daí, não parei mais.

A escolha do judô como sua modalidade favorita foi só para acompanhar seu irmão?

Não, inicialmente foi. Mas o que me chamou atenção no judô foi o fato de ser um esporte individual. Valorizo o esporte individual porque é algo que só depende de mim. Tenho mérito e culpa sozinha.

Como são seus treinos?

O ritmo é muito puxado. Muito mesmo. Faço três períodos por dia de quatro a cinco horas cada. É bem tenso.

Para suportar esse ritmo pesado, você segue alguma recomendação?

Sigo sim. Todo início de ano a Confederação Brasileira faz uma bateria de exames com cada atleta. Com os resultados, eles avaliam as necessidades e deficiências de cada organismo. A nutricionista responsável passa um suplemento que tomo durante o ano.

Como você cuida da sua alimentação?

Sempre tive muitos problemas com peso. Minha vida no esporte sempre foi uma luta contra a balança. Mas hoje consigo comer de tudo sem ter muito problema. O que evito é comer muito chocolate (que adoro!) e doces em geral.

Que tipos de problemas com peso você teve?

Ah, eu era mais "cheinha". Comia exageradamente e sem limites. Queria comer chocolate e acabava com uma barra inteira, às vezes duas (risos). Mas comecei a ter que perder muito peso para me enquadrar na categoria que participava (Atualmente, Danielle está na categoria de 57 kg, mas no início da carreira pesava 63 kg para disputar a categoria de 56). Na época eu era jovem, tinha entre 16 e 18 anos, e me desdobrava para perder peso. Corria demais. Não é bom porque, quando perde muito peso, a propensão para lesões é muito maior.

E hoje, você ainda "briga" com a balança?

Depois que descobri que tinha hipertireoidismo (conjunto de sinais e sintomas decorrentes do aumento excessivo de hormônio produzido pela tireóide. Entre os principais sintomas estão a perda de peso) passei a comer e não engordar. Mas o fato de estar mais madura e me controlar mais também colaborou para hoje conquistar meu peso ideal. Continuo comendo de tudo, com a diferença de que me controlo mais.

Mas mesmo comendo de tudo, há algum alimento que você não pode ingerir antes das competições ou treinos?

Sim. Eu procuro evitar leite e derivados. Desde pequena tenho problemas de digestão e sempre passo mal quando ingiro qualquer tipo de derivado do leite.

Que problema é esse?

Tenho refluxo. O cuidado se torna redobrado com a minha digestão. Por isso, procuro me alimentar umas duas horas antes dos treinos ou competições.

Você já fez alguma dieta? Qual foi a mais marcante?

É, segui por um nutricionista sim. Olha, vou dizer que o fato de passar fome e sede é muito marcante. Mas a pior de todas é a dieta da proteína (que não pode comer nenhum carboidrato), quase fiquei maluca. Até porque o esporte exige muito do nosso corpo e os carboidratos ajudam nesse sentido.

Você é vaidosa?

Não sou muito não, viu? Gosto de me cuidar, mas nada fora do normal. São cuidados com os cabelos, pés, mãos, apesar de ser muito difícil cuidar de mão e pé no judô (risos).

Como se cuida para se sentir mais bonita?

Olha, minha mãe que sempre me pede para eu estar bonita. Na verdade, me preocupo mais em estar bem. Mesmo assim, acredito que depois do judô aprendi até a me cuidar mais.

Por quê?

Ah! Eu era muito relaxada. Hoje me cuido um pouco mais.

Quais são esses cuidados?

Com a pele. Passo protetor para não ficar com manchas (nos treinos às vezes tomamos muito sol). Também faço hidratação nos cabelos, já que eles quebram muito por estarem sempre amarrados.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas