Marina Elali

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Marina Elali

Filha de palestinos, a cantora Marina Elali ficou conhecida pelo público brasileiro quando participou da terceira edição do reality show musical "Fama", da TV Globo. A artista passou nove semanas confinada na casa do programa e saiu direto para as trilhas sonoras de novelas globais. Sua voz já embalou cenas das tramas "América", "Páginas da Vida", "Sete Pecados" e, atualmente, pode ser ouvida em "Duas Caras". A canção interpretada por ela no folhetim de Aguinaldo Silva, "All She Wants", é uma versão em inglês do sucesso "Xote das Meninas", criação de Luiz Gonzaga e de seu avô, Zé Dantas.

Da descendência árabe, Marina herdou o rosto expressivo e o corpo. "Quando eu era mais nova, me sentia diferente de todo mundo. Me chamavam de exótica e eu achava que estavam me chamando de feia!", conta. Agora, a cantora garante que o rosto diferente é positivo para sua carreira. "Me acostumei a ser diferente, acho legal. Na minha carreira é bom, é um rosto diferente", declara.

Em entrevista ao Cyber Diet, Marina Elali confessa também que não pratica muitos exercícios físicos, mas acredita que a dança e os ensaios para os shows ajudam

a manter seus 58 quilos bem distribuídos em 1,71 de altura.

ENTREVISTA AO CYBERDIET Como costuma ser sua alimentação?

Na verdade, estou tentando melhorar a minha alimentação. Mas por causa da correria, nem sempre consigo! (risos) Uma coisa que eu faço e me ajuda muito é que, quando eu sento para comer, como refeição mesmo. Como arroz, feijão, carne, comida integral, macarrão, essas coisas. Fritura e doce eu tento evitar, mas é difícil. Tenho sempre uma barrinha de cereal na bolsa para as horas do desespero. Como frutas e bebo pelo menos três litros de água todos os dias. Isso ajuda na minha voz. Não sou neurótica, mas me cuido. Saúde em primeiro lugar.

Além de consumir água e fruta, quais são os outros cuidados que você tem com a voz?

Tenho cuidados que vão além da alimentação. Faço aquecimento vocal e não fumo, isso me ajuda muito. Não bebo nada de álcool, não deixo o ar condicionado ficar no meu rosto. Esses cuidados ajudam.

Você costuma fazer algum exercício físico?

Eu danço nos shows e vivo em uma correria louca. Queimo bastante calorias nas apresentações e quando estou ensaiando. Mas não vou mentir, não estou fazendo nenhum exercício físico (risos). Eu tento, vou para a academia, comecei a fazer pilates, mas sempre acabo parando na metade do caminho. Graças a Deus, estou bem por causa da dança.

Acredita que a dança te ajuda a manter o corpo em forma?

Com certeza ajuda! Sempre faço alguma coisa de dança do ventre nos meus shows. Também tem dança de salão, salsa, nordestina, forrozinho, dança contemporânea. Mas a idade também ajuda, né! Quando não estou nessa correria toda, eu caminho, corro, faço sempre alguma coisinha. Sou uma pessoa que não pára, sou ativa por natureza.

Você é muito preocupada com sua forma física?

Eu procuro manter tudo em cima. Quando sinto que estou engordando, eu fecho a boca. Evito doces e aquelas coisas que a gente sabe que engordam e fazem mal. Geralmente, engordo se fico em casa. Mas se trabalho, mal dá tempo de comer. Eu tenho o mesmo peso há vários anos, desde os 15 anos. Tem roupa dessa época que dá para eu usar ainda. Quando estou com menos que 58 quilos, eu fico magrela e, mais do que isso, fico com carinha de gorda.

Já fez alguma dieta?

Não. Graças a Deus, sempre tive muito medo dessas coisas de dietas milagrosas. Prezo muito pela minha saúde, não posso brincar com isso não. Nunca tomei remédio, nunca fiz dieta assim, não acho saudável. Quando me senti mais ou menos acima do peso, fiz exercício físico. Não indico e nem concordo com essas coisas.

O que você gostaria de parar de comer, mas não consegue de jeito nenhum?

Doce. Não tem jeito não. Eu não tomo refrigerante desde criança, não sou fã de chocolate. Mas leite condensado, essas coisas... (risos)

Já fez alguma cirurgia plástica?

Não, por enquanto não. É tudo de fábrica. Deixa cair que eu faço (risos). Eu tenho muito medo, sou toda apreensiva. Mas tendo vontade, eu acho que vou fazer.

Na adolescência, você era feliz com o seu corpo?

Não era feliz com meu corpo. Na adolescência, todo mundo tem complexo! (risos). As coisas vão se resolvendo conforme a idade vai chegando. Quando eu era mais nova, meu busto ficou maior do que o de todo mundo da sala. Fiquei com vergonha, porque comecei a usar sutiã novinha. No colégio, eu usava calça jeans com moletom amarrado para esconder o quadril. Eu tinha esse corpo já com 13 anos e tinha vergonha. Depois me acostumei (risos).

E hoje, você está feliz com seu visual?

Hoje eu gosto, estou feliz. As pessoas têm que agradecer a Deus o corpo que têm, realçar o que têm forte e esconder o que é ruim. Estou saudável e isso vem em primeiro lugar.

Quais os cuidados que você tem com beleza?

Não tomo sol há mais de dez anos. Esse foi um conselho bom que minha mãe me deu. Por esse motivo, não tenho nenhuma mancha na pele. Meu cabelo é virgem, nunca passei nenhum produto químico. Ele tem um brilho natural, todo mundo acha que é algo que eu fiz, mas não é. Tenho dificuldade de usar creme no corpo e rosto, não gosto de ficar melecada, mas estou começando a usar. A idade está chegando.

Acha que a descendência árabe influencia no seu corpo?

Com certeza, tenho carinha de árabe. Tenho olhos bem expressivos. Por parte de mãe, sou nordestina, mas a parte árabe é mais forte. Quando eu era mais nova, me sentia diferente de todo mundo. Pensava: "ninguém parece comigo". Me chamavam de exótica e eu achava que estavam me chamando de feia! (risos) Mas me acostumei a ser diferente, acho legal. E na minha carreira é bom, é um rosto diferente, marca mais. Hoje sou bem feliz, não vou ficar reclamando não, papai do céu que escolheu assim.

Você está namorando?

Namoro há mais de seis anos o diretor de cinema Roberto Carminati.

Quais são seus planos para a carreira?

Estou muito feliz, estou com a quarta música em novela na Rede Globo. ("All She Wants"- trilha da novela global "Duas Caras"). É muito importante, porque as músicas que foram trilha tocaram bastante. Ainda vou gravar um especial, lançar um DVD no segundo semestre, fui convidada para participar de um filme e vou sair em turnê.

Sente algum preconceito por ter participado do reality show global "Fama"?

Uma das melhores coisas na minha vida foi o "Fama". Antes dele, eu já estava com meu primeiro disco pronto, mas foi um passo importante. Hoje ainda me param para falar do programa. As pessoas tinham carinho por isso, torciam. Foi muito legal.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas