Nova solução para as rugas?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Nova solução para as rugas

A busca incansável pela beleza e juventude faz com que as mulheres se arrisquem em cremes e procedimentos "milagrosos". Quem nunca viu propaganda de algum cosmético que promete acabar com parte das rugas em três dias? E aqueles que garantem o rejuvenescimento da pele facial depois de apenas uma aplicação?

O novo procedimento estético em discussão é a aplicação do fenol para preenchimento das rugas, no lugar do velho conhecido botox. Fenol é uma substância química de ácido carbólico, que serve como conservante para evitar o crescimento de fungos quando utilizada em pequenas quantidades.

"Por ter poder de agressão à pele, há um tempo se preconizou fazer peeling com essa substância", explica a dermatologista Denise Steiner, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e Coordenadora do Departamento de Cosmiatria da SBD. E foi esse poder de conservante que fez com que alguns especialistas estudassem a utilidade do fenol como método para acabar com as rugas.

O cirurgião plástico Rômulo Mêne, do Rio de Janeiro, e o médico pós-graduado em medicina estética Tomas Kim, de Ribeirão Preto, juntamente com especialistas da Universidade de São Paulo e de entidades estrangeiras, como o suíço Alain Tenenbaum, realizaram um estudo para investigar a ação do fenol injetável no combate às rugas.

Concluíram que a substância tem força para acabar com as marcas tão indesejadas. No IV Encontro Anual de Procedimentos Estéticos, que será realizado no final deste mês, o médico Tomas Kim presidirá uma mesa sobre a eficácia e segurança dos procedimentos estéticos, entre eles, o uso do ácido carbólico injetável.

De cheiro forte e cor amarelada, o fenol é utilizado em países da Europa como forma de acabar com as rugas de expressão. Já no Brasil ele não tem autorização da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) para ser usado com esta finalidade. "No exterior, injetam fenol na pele para provocar coagulação das proteínas e ter destruição e posterior recuperação, mas isso é feito por meio de uma agressão muito violenta", explica Denise.

Por isso, a especialista não recomenda o uso de fenol para fim estético. "É totalmente perigoso. É uma substância tóxica e, quando você faz na superfície da pele na hora do peeling, já tem que tomar muito cuidado. Para injetar então, você perde o controle. Pode atingir estruturas profundas e ter problemas irrecuperáveis", completa a dermatologista.

É a promessa de resultados maiores que fascina algumas mulheres. Um botox que duraria o triplo do tempo habitual, parece um milagre. Mas o cirurgião plástico Paulo Matsudo, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, garante que isso não é uma vantagem do fenol em relação ao seu "concorrente" botox. "A aplicação do botox deve ser refeita entre três e nove meses. Isso é positivo, pois se a pessoa não gostou do resultado, logo vai recuperar os movimentos do rosto", explica o especialista, primeiro cirurgião plástico a aplicar botox no Brasil, em 1992. Isso não aconteceria com o fenol, que pode ter seus resultados mantidos por dois anos ou até mais. Caso a aplicação seja feita de forma errada, os danos podem ser eternos.

Neusa Teixeira, de 50 anos, que faz aplicações de botox, se considera uma potencial futura usuária de fenol. Ela se submeteu ao procedimento pela primeira vez para uma campanha publicitária e não parou mais. "Eu tinha medo, mas o doutor me passou segurança, fez de uma forma sem ser artificial. Fiz a aplicação e no dia seguinte já pude trabalhar, o rosto ficou bem leve. Desde então, faço a cada seis meses uma nova", conta a modelo.

Neusa também garante que se o fenol passar a ser usado como forma de acabar com as rugas no Brasil, ela será a primeira da fila. Mas com algumas restrições. "Sou a primeira da fila, mas desde que me passem uma credibilidade. Eu trabalho com minha aparência, mas se o médico passar segurança e fizer de uma forma que fique bem natural, eu faço. É um tiro no escuro, mas não teria problema algum", garante.

De acordo com a dermatologista Denise Steiner, além de poder conservante, o fenol tem capacidade destrutiva. "Se você coloca injetável e chega na junção da musculatura com a placa nervosa, ele destrói a placa. Com isso, faz a destruição da possibilidade do músculo contrair e, se ele não contrai, algumas rugas de expressão podem ser eliminadas", conta. "Mas é uma invasão muito agressiva", alerta a especialista, que trabalha com botox para acabar com as indesejáveis marcas de expressão no rosto de suas pacientes. "Ele também é invasivo, mas em menos profundidade. Quando aplicado, provoca relaxamento da musculatura por uma ação química durante alguns meses", diz.

O cirurgião Paulo Matsudo, um dos precursores do botox, conta que chegou à substância após estudar os relaxantes musculares. "As pessoas faziam cirurgias e reclamavam que ainda tinham rugas quando sorriam e se movimentavam. Então, estudando os relaxantes musculares cheguei nesse. Depois, adequamos o uso para rugas faciais", conta.

O procedimento deve ser feito por um cirurgião plástico ou dermatologista, que realizará a aplicação local, e cada sessão pode custar em média mil reais.

Matsudo alerta que é preciso estar atento em relação aos procedimentos que prometem juventude eterna ou desaparecimento total das rugas em pouco tempo. "Tem muita propaganda enganosa, muita mentira para as rugas dinâmicas da face", diz. Antes de qualquer ação, procure um especialista de confiança. É bom cuidar do rosto, melhor ainda quando se tem segurança sobre aquilo que está sendo feito.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas