Novos fatores de risco ameaçam o coração

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Novos fatores de risco ameaçam o coração

Os estudos para descobrir as causas do infarto não cessam. Colesterol alto, diabetes, estresse e hipertensão arterial são fatores de risco já bem conhecidos. O problema é que a cada dia surgem novos fatores que, associados a esses, predispõem a problemas cardíacos.

No intuito de se conhecer mais profundamente os caminhos que levam o órgão humano mais importante a parar suas atividades, cientistas de todo o mundo estudam todos os sinais. A última descoberta anunciada pelo British Medical Journal, a revista mais importante do meio médico mundial, aponta para um novo ponto, algo que ainda não havia caído em discussão.

O centro dos estudos agora é a proteína C reativa, que pode provocar o entupimento dos músculos cardíacos. O aumento dessa proteína no organismo se deve a processos inflamatórios. O alerta vermelho acende no caso de inflamações vasculares, sobretudo se o índice da proteína C reativa não retornar aos limites aceitáveis.

Quem explica é o Edmar Santos, cardiologista e diretor-médico da Cooperativa Moema de Saúde - Comsaúde. "As causas do infarto ainda são nebulosas. Então os cientistas buscam explicações a cada novo sinal que surge. Não se entendia porque crianças, por exemplo, eram vítimas de infarto se não apresentavam características que até então se acreditava como causas da doença. E percebeu-se que o alto nível de proteína C reativa no organismo era um sinal aparente de infarto."

"Muitas vezes, uma simples mudança na alimentação já diminui o risco", diz Santos. "Fazer exercícios físicos e deixar o cigarro também são fundamentais", afirma. Outro caminho, segundo o cardiologista, é o exame periódico, a única forma de se detectar o aumento da proteína C reativa no organismo.

"Mas a preocupação com a alimentação balanceada e qualidade de vida satisfatória, com exercícios físicos regulares e controle sob o estresse do dia-a-dia também são fatores determinantes", reafirma.

Quanto à alimentação, Edmar é categórico. "As altas quantidades de gordura ingeridas na alimentação são fracionadas em LDL, o colesterol ruim que, uma vez oxidado se transforma em células espumosas que irão aderir à parede da artéria, formando a placa de gordura que vai causar o infarto".

Outro inimigo do coração é o cigarro. O cardiologista explica que o consumo do tabaco aumenta a fibrina, uma espécie de cimento que faz com que as plaquetas se juntem num aglomerado formando o trombo ou coágulo. Este trombo pode obstruir uma artéria coronária, principalmente onde já exista uma placa de gordura.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas