O fim das agulhas - chegou o botox em creme

O fim das agulhas  chegou o botox em creme

A Sociedade de Dermatologia sempre traz novidades para o tratamento estético. Recentemente chegou ao Brasil uma novidade alternativa ao botox injetável.

A toxina botulínica (botox) em creme parece ser a solução para quem quer manter a pele jovem, mas tem pavor de agulhas.

Segundo Fábio Alex, dermatologista, a toxina em creme têm um efeito diferenciado, se comparado ao botox injetável. "Estes novos cosmecêuticos acabam atingindo a musculatura lisa superficial da pele e diminuem sim as ruguinhas superficiais, mas as rugas de expressão não", diz.

"A toxina em si é a mesma, sendo que, se você apenas colocá-la na pele, ela não será absorvida, pois tem uma molécula pesada que não atravessa as camadas da epiderme. Para que ela seja realmente absorvida, precisa de um transportador, que nós chamamos de carreador", explica a Dra. Ada Trindade, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. "A empresa que lançou a toxina botulínica em gel conseguiu desenvolver um carreador e isso faz com que ela seja absorvida pela pele. Todo este procedimento é feito em consultório médico", completa.

O botox em creme é recomendado para pequenos reparos. "Deve ser usado somente para estética, em casos de rugas superficiais e onde não há flacidez excessiva", aponta o Dr. Fábio Alex. A Dra. Ada Trindade afirma: "Ela é usada para eliminar as rugas ao redor dos olhos. Assim funciona bem, mas ainda não temos indicação para aquela região da testa, entre os olhos, a glabela". Além disso, a toxina botulínica também é usada para o controle de excesso de suor.

Já o tradicional botox injetável é usado para diversos outros fins, por exemplo: "Pés de galinhas, elevar a sobrancelhas, rugas ao redor dos lábios, do pescoço - que chamamos de técnica de Nefetit -, do colo e de expressão e sudorese excessiva de axilas mãos e pés. Além disso, hoje alguns pacientes com acne se beneficiam com a aplicação da toxina", revela o dermatologista.

Dra. Ada lembra: "Está se estudando também a aplicação de botox em creme para quem tem rosácea, aquela vermelhidão no rosto".

Sobre a diferença de tratamento o Dr. Fábio afirma: "A toxina injetada tem uma durabilidade aproximada de quatro a oito meses, variando de paciente para paciente e da dose usada. Pode ser reaplicada a cada seis meses ou até uma vez por ano. Já a toxina em creme sempre vai ter que ser usada e o seu efeito vai sendo otimizado a cada passada", explica.

Segundo o dermatologista as principais propostas da toxina em creme são: "Paralisar a musculatura superficial da pele, e em apenas seis horas é possível notar algum efeito, nivelar e reparar rugas superficiais, atenuar e elevar as linhas finas, revigorar sua pele instantaneamente, melhorar a textura e as linhas finas, fortalecer a elasticidade da pele". "Eu particularmente acho que pode ser uma opção para aqueles pacientes que não querem fazer a toxina, porém o efeito não será o mesmo", completa.

Embora não haja registros de efeitos colaterais graves é preciso tomar cuidado. "Como qualquer produto, tanto o injetável como tópico pode ter reações alérgicas sim, e os sintomas podem variar de paciente para paciente, normalmente vão desde vermelhidão local, prurido e placas eritematosas", afirma o Dr. Fábio. Já a dermatologista Dra. Ada Trindade diz: "Nos estudos iniciais, o creme foi bem tolerado".

Comente

Últimas