Penélope Nova

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Penélope Nova

Apesar da aparência e do jeito despojados, Penélope Nova, VJ da MTV, acredita que seus costumes podem ser considerados caretas. Ela detesta cigarro, não bebe e é fiel. "Dentro do que as pessoas consideram muito louco, eu sou bem careta!"

Ela chamou a atenção do público por mudar bastante fisicamente desde que começou sua carreira na emissora musical. Penélope, que tem 24 tatuagens espalhadas pelo corpo, é avessa às dietas. Com 1,63m e 59 quilos, a VJ evita lactose e açúcar e treina uma vez por dia na academia. Além disso, foge das frituras. "Se você me ver comendo uma coxinha, pode apostar que eu devo estar louca ou sob efeito de drogas", declara.

ENTREVISTA AO CYBERDIET

Em entrevista ao Cyber Diet, Penélope Nova conta que trabalhar em uma emissora voltada ao público jovem é um fator favorável, pois pode servir de inspiração. A filha do roqueiro Marcelo Nova, vocalista do grupo Camisa de Vênus, afirma também que nunca achou que pudesse mudar seu corpo, mas adorou quando percebeu que tinha esse poder. "Saber que posso me sentir gostosa de vez em quando, é uma delicia!", declara

O que você costuma comer?

É mais fácil falar o que eu não como. Não consumo lactose, farinha branca, porque tem um alto índice glicêmico, e não como açúcar. Me alimento seis vezes por dia, em intervalos de duas horas e meia a três horas, no máximo.

Qual tipo de comida não fica fora do seu cardápio?

Peixes, brócolis e couve-flor. O paladar da gente muda muito quando começamos a comer melhor. Hoje em dia, eu prefiro comer direito. Não como fritura nem a pau. Se você me ver comendo uma coxinha, pode apostar que eu devo estar louca ou sob efeito de drogas (risos). Pizza a cada dois, três meses. Mas não sinto falta. Posso muito bem viver sem.

Pratica atividades físicas?

Faço musculação uma vez por dia, cinco vezes por semana.

Seu corpo mudou bastante nos últimos anos. Quando decidiu se cuidar mais?

De quatro anos pra cá, eu mudei bastante. Eu nunca tinha feito dieta, era bem mais cheinha. Fiquei parada um tempão. Quando decidi, tinha 30 anos e fazia três anos que eu era VJ. Eu percebi que podia mudar por mim mesma e querer me sentir mais bonita. Não estava fazendo aquilo para agradar alguém, para satisfazer padrões estéticos.

O que te fez querer mudar?

No primeiro momento, para ganho estético, resolvi treinar e comer direito. O resultado veio muito rápido. Perdi 85% da mama por causa de exercícios, porque ela é gordura. Em um mês, meu corpo tinha mudado muito, a minha auto-estima melhorou bastante. Cheguei a um nível que eu nunca pensei que poderia ficar e não parecia tanto esforço assim. Uma pessoa que faz dieta reclamando, não dura uma semana. Mas se ela entende o que está fazendo, se empolga. Não precisa abrir mão de nada para fazer dieta, o certo é comer bem.

Quais são os cuidados básicos que você tem com a saúde?

Faço check-up de seis em seis meses e tenho cuidados com a estética, como toda mulher. Faço limpeza de pele, peeling e também drenagem linfática, que é maravilhosa para desinchar, principalmente quando você está menstruada. Uso filtro solar todos os dias e faço bronzeamento artificial.

Você fuma?

Odeio cigarro! Fede o cabelo, tem um cheiro horrível. Chego ao cúmulo de não ir para baladas à noite para não ficar com os cabelos fedendo a cigarro e não ter tempo de lavá-los à noite. Eu bebo muito pouco. Nunca bebi um gole de cerveja, mal bebo outras bebidas. Cerveja tem cheiro de ovo podre.

Você se considera uma pessoa careta?

Não sou careta, porque para mim quem é careta é quem limita os outros nos conceitos. Viva e deixe viver. Mas dentro do que as pessoas consideram muito louco, eu sou bem careta!

Você tem várias tatuagens. Acredita que as pessoas têm uma visão diferente sobre você por causa disso?

Sim e acho divertido. O problema da humanidade é que muitas vezes a gente projeta uma imagem para se proteger e as pessoas acabam não te conhecendo. Ainda mais eu que tenho tatuagem, trabalho na MTV, lido com rock, falava de sexo. As pessoas criam toda uma imagem. Eu acho divertidíssimo as pessoas me imaginarem completamente ao contrário do que eu sou. Quem apostaria que eu mal bebo, odeio cigarro, evito ir à balada para não ficar com os cabelos fedendo e não como doces?

Com que idade fez sua primeira tatuagem?

Exatamente no dia em que fiz 18 anos, às 11 horas da manhã, eu me lembro. Foi na nuca. Quando eu tinha 15 anos e falava para meu pai que queria fazer uma tatuagem, ele dizia que quando eu fizesse 18 anos poderia fazer o que quisesse. Então, fiz. Atualmente, acho que tenho 24 tatuagens. É uma contagem maluca, estão todas tão unidas. Existem mil maneiras de contá-las.

Tem uma tatuagem preferida?

Tenho duas tatuagens preferidas. Uma na parte interna do antebraço direito, que é uma pintura do Alphonse Maria Mucha (ilustrador e artista gráfico tcheco do movimento "Art Nouveau", Arte Nova em francês), e outra é uma chuvinha de coração, que eu tenho no corpo todo. Eles estão todos espalhados, são mais de 40. É a mais recente.

Pretende fazer mais alguma?

Não faz parte dos meus planos futuros. Os lugares que eu acho tatuáveis do corpo já estão preenchidos. Nunca tatuaria na perna, por exemplo, não acho feminino. Mas é melhor guardar um espacinho caso algum dia surja uma vontade louca.

Você é feliz com o seu corpo? Mudaria alguma coisa?

Sou muito feliz. Acho que isso é meio comum entre as mulheres. Antes eu olhava para uma mulher de físico melhor do que o meu e pensava: "eu não nasci assim, mas tenho outros atributos que me valorizam, sou legal". O que é verdade, as pessoas não têm a obrigação de ter um corpo perfeito. Mas eu não sabia que podia mudar meu corpo. Dos 13 aos 30 anos, sempre treinei por treinar, mas não para mudar minha forma. Mas eu não era infeliz. Não era do tipo que tinha vergonha e precisava transar com a luz apagada. Eu era conformada. Quando tentei mudar, vi que isso era possível e prazeroso. E saber que posso me sentir gostosa de vez em quando, é uma delícia!

Aumentou o assédio?

O masculino? Na verdade os homens me respeitam muito. Talvez pela forma escrachada que eu tenho de falar. Eles sabem que quem fala o que quer, pode falar o que você não quer ouvir. E meu público sabe que eu sou extremamente careta em relação à fidelidade. O que aumentou foi o assédio feminino. As mulheres de 25 a 30 anos vêm me procurar para saber como eu mudei, o que eu fiz. Por trabalhar na televisão, tenho vantagem de poder inspirar e incentivar os outros. Quando as pessoas falam comigo, perco o tempo que eu tiver para explicar, contar. Posso chegar atrasada em um compromisso, mas atendo com o maior prazer.

Já fez alguma cirurgia plástica?

Tive que repor as mamas porque perdi muito peito com os exercícios. Coloquei 260ml em cada lado. Eu acho que o problema da cirurgia plástica é que é uma ferramenta para alteração de aparência que não dura. A pessoa se prende em um ciclo. Engorda, faz cirurgia, engorda, faz cirurgia. Acho uma falta de vergonha. Quer mudar? Fecha a boca, faz exercício. Isso influencia você a batalhar outras coisas, porque se sente mais capaz. A não ser que a cirurgia seja muito necessária. Um retoque porque você malhou, mas aquela gordura não saiu de jeito nenhum, algo que incomoda, que seja genético. Não sou contra a cirurgia, sou contra a forma que ela é feita hoje em dia.

Você está comprometida?

Estou casada há quase quatro anos. Não sou casada no papel, mas moro junto. É meu "namorido". Eu quero poder ter grana para fazer uma festa bacana e passar pelo ritual, mas não quero uma festa cheia de gente. Quero estar cercada de poucas pessoas, mas que signifiquem muito. Uma coisa na praia, em uma capelinha. Quem sabe passar uma semana no interior e casar em alguma capela por lá?

Pensa em ter filhos?

Não, tenho muitos cães. Penso em talvez adotar, por vários motivos. Existem aquelas mulheres que sonham em ser mãe desde criança. Essas pessoas têm mais é que ter filhos mesmo. Eu não tenho esse sonho, apesar de achar que deve ser legal. Não me imagino tendo filho antes dos 40 e ter filho depois dessa idade é caro e difícil. Por isso, adotar parece melhor. Na melhor das hipóteses, pensaria em adotar depois dos 40. Já tem muita gente no mundo.

Quais são seus planos para a carreira?

Tenho dois programas novos na MTV. Um programa diário, "MTV Na Rua", que será ao vivo e cada dia em um lugar novo de São Paulo, e outro que é semanal e já está no ar, que é o "Lavanderia".

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas