Problemas de pele no verão

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Dermatologista ensina como tratar as doenças da estação

Pele no verão  Dermatologista ensina como tratar d

O verão é época de sol, viagens, mais tempo dedicado ao lazer em praias, piscinas, trilhas em parques ou florestas. Porém, é também um período propício para algumas doenças de pele, o que faz com que, muitas vezes, a bagagem de volta não venha recheada apenas com fotos e recordações das férias. Mas em forma de marcas, alergias e feridas na pele.

De acordo com a dermatologista e diretora da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica - SBCD, Dra. Eliandre Costa Palermo, "a exposição da pele à água e areia, por exemplo, favorece o desenvolvimento de microorganismos como fungos e bactérias, facilitando o surgimento de infecções da pele. Fezes de cães e gatos nas areias das praias causam o chamado "bicho geográfico", por causa da parasita Ancylostoma presente nesses dejetos", afirma a médica ao recomendar que as pessoas redobrem os cuidados com a higiene para evitar a contaminação.

Muitas pessoas não se dão conta de que alguns cuidados básicos devem ser tomados com a saúde durante a estação das temperaturas elevadas para que a sua pele passe ilesa por mais um verão. Proteger a pele dos raios ultravioletas, usar roupas leves e confortáveis, beber água e hidratar a pele, são algumas recomendações que devem ser seguidas para evitar maiores problemas.

No entanto, se você não se precaveu e voltou do feriado prolongado com lembranças pouco agradáveis, a dermatologista elaborou uma lista para você saber quais são as doenças de pele mais comum nesta época, como se manifestam e como devem ser tratadas.

Herpes

É uma doença viral geralmente benigna causada pelos vírus Herpes Simples 1 e 2, que afeta principalmente a mucosa da boca ou região genital. Algumas pessoas têm tendência a apresentar episódios de infecção viral tipo herpes simples após o verão, o que pode deixar o local manchado. "Apesar de não existir um tratamento preventivo, há remédios que ajudam a reduzir os sintomas e o risco de complicações. Evite aplicar qualquer pomada, somente aquelas recomendadas pelo seu médico".

O que pode ser feito: o tratamento específico da infecção do herpes com pomada e medicamentos pode ser necessário, mas também é importante manter o local bem hidratado.

O que não pode ser feito: durante a fase aguda (com bolha e crosta) nunca arranque a crosta, não esprema o local, não aplique produtos secativos de acne, álcool ou pomadas com corticóide. O herpes não deve ser manipulado. Evite exposição ao sol com o herpes, pois ele pode piorar, mesmo com o protetor. As mulheres devem ter atenção com a depilação do buço, mesmo depois de seca a lesão da herpes, pois o local fica sensível e pode manchar.

Bicho Geográfico (larva migrans)

Uma pessoa adquire esta doença ao expor a pele ao contato direto com a parasita Ancylostoma, comum em cães e gatos. Como o ser humano não é o hospedeiro definitivo do parasita, ele permanece migrando sob a pele. É este percurso que delineia os sulcos conhecidos como "mapa", daí a origem do nome de bicho geográfico. "O local acometido pode apresentar inchaço e coceira. O tratamento é feito com uso de pomadas específicas e medicação via oral, para aliviar a coceira é indicado aplicar compressas geladas no local. A melhor medida de prevenção é evitar andar descalço em áreas com solo possivelmente contaminado, para que a pele do pé não entre em contato com este terreno".

Impetigo (infecção bacteriana)

As crianças são as mais atingidas pela doença que é causada, principalmente, pelo microorganismo Staphylococcus aureus e Streptococcus. A infecção pode afetar a pele em qualquer parte do corpo, sendo mais comum na face e nas mãos. O tratamento é feito com antibióticos, via oral e, em casos mais leves, pode-se aplicar pomadas. "No entanto, a prevenção depende de uma boa higiene diária, como lavar as mãos com frequência, não usar toalhas ou roupas de outras pessoas e manter as unhas curtas".

Insolação e Queimaduras

A insolação é provocada pelo excesso de exposição ao sol e ao calor intenso. Os principais sintomas são desidratação, queimaduras na pele, dor de cabeça, mal-estar, tonturas, vômitos e falta de ar. De acordo com a Dra. Eliandre Palermo, pessoas com sintomas iniciais de insolação devem ser levadas imediatamente para um local arejado, com sombra e receber hidratação por via oral para repor os líquidos perdidos. Casos intensos precisam de atendimento de urgência.

A dermatologista ainda afirma que mesmo sem estar diretamente exposta, a pessoa pode ter insolação porque a areia reflete o sol, elevando a temperatura do corpo. "Em casos de queimadura solar, dependendo do grau, deve-se procurar um dermatologista que prescreverá o melhor tratamento. Em casos mais leves, compressas frias de chá de camomila ou de soro fisiológico ajudam a aliviar a reação inflamatória da pele. Outra recomendação é usar protetor solar durante a exposição ao sol, ingerir muito líquido, como água, sucos ou chá gelado, não se expor ao sol entre 10h e 15h, além de manter uma alimentação leve e equilibrada", conclui a Eliandre.

Por Paula Perdiz

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas