Qual a eficácia dos ativos contra celulite?

Qual a eficácia dos ativos contra celulite

Celulite é um dos maiores vilões da saúde feminina. Há tempos produtos e mais produtos são lançados no mercado para combater esse mal, mas será que todos esses ativos que prometem acabar com os furinhos indesejados funcionam mesmo?

L-carnitina, castanha da índia, manganês, cafeína, retinol, extrato de chá verde, THPE, centella asiática, são alguns do mais utilizados pelos dermatologistas no tratamento contra a celulite.

Mesmo mostrando resultados, a dermatologista Marcella Delcourt, membro da

Sociedade Brasileira de Dermatologia, em São Paulo, afirma que nenhum ativo consegue sozinho, resultar em melhoras.

"Não existe um ativo que, sozinho, melhorará a celulite."

Mas misturados, eles podem, sim, fazer efeito. "Normalmente usa-se uma combinação dos ativos que agiriam no fluxo sanguíneo microvascular e ajudando na quebra de gordura", afirmou a dermatologista Daniela Taniguchi, do Hospital Estadual Mário Covas, em Santo André, São Paulo.

A médica ressalta que esses produtos só terão efeito em graus mais leves da celulite: "O tratamento ideal é aquele que atua em todos os fatores desencadeantes. Graus avançados necessitam de tratamentos médicos que agem mais profundamente, como radiofrequência, ultrassom, etc".

Para quem não sabe, a celulite é classificada em alguns graus : o grau I representa o início, quando só dá para "enxergar" a celulite se é feito um exame específico. No grau II, os furinhos não são visíveis, mas pode-se enxergá-los quando a pele é apertada ou a musculatura sofre contração. Já no grau III e IV, mesmo com a pele em repouso, a celulite é visível e pode-se encontrar pequenos nódulos.

Marcella afirma que "a celulite nos graus I e II são as que mais respondem aos tratamentos. Esse tipo pode ter seu aspecto melhorado com os cremes anti-celulite". Mas, na opinião da dermatologista Daniela, a ação de produtos tópicos é limitada, afinal, os fatores que influenciam o aparecimento dos furinhos são bem variados. "Não existe uma única causa, várias causas atuam em conjunto", disse.

Ou seja, você deve ficar atenta: "Predisposição genética, alterações hormonais e circulatórias, alimentação desequilibrada, fumo, vida sedentária, uso de pílulas anticoncepcionais, tratamentos de reposição hormonal e stress são fatores envolvidos", afirmou Doris Hexsel, membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. "Estes fatores podem prejudicar a circulação sanguínea e oxigenação dos tecidos, provocando reações metabólicas locais que geram inflamação, edema e fibrose no tecido gorduroso e na pele", complementou Daniela.

Por isso mesmo, na hora de escolher o creme adequado ao seu tipo de pele e grau de celulite, a indicação é uma só: procure um dermatologista de sua confiança. Os ativos que ajudam no combate à celulite só terão uma ação satisfatória se forem indicados corretamente. De nada adianta a sua amiga falar que utilizou um creme ótimo que está dando resultado, se o tipo de celulite dela é bem diferente do seu.

"Há diferentes produtos anti-celulite no mercado e não há uma fórmula que relacione o ativo com o tipo de pele. Na verdade, a melhor opção é procurar um dermatologista e avaliar o grau e tipo de celulite, fatores envolvidos e deixar que este profissional decida o melhor tratamento, adequado as necessidades de cada paciente", argumentou Doris.

Depois de escolhido o melhor creme, com o ativo mais adequado, a segunda parte importante é saber aplicar corretamente. "Os cremes devem ser aplicados diariamente, duas vezes ao dia. Se o veículo do creme for oleoso, pode ser aplicado em movimentos antigravitacionais (de baixo para cima), com movimentos repetidos, para ajudar na drenagem linfática", ensinou Daniela.

Outra dica bacana é escolher a melhor hora para a aplicação. Doris conta que é interessante utilizar cremes após o banho, sempre em movimentos circulares e em direção aos gânglios linfáticos.

Além dos cremes, lembre-se sempre de adquirir hábitos saudáveis, maximizando os resultados do tratamento. "Graus mais avançados, e mesmo os graus mais leves terão pouca ou nenhuma resposta, se nada for feito em relação aos hábitos alimentares, sedentarismo, etc.", afirmou Daniela.

"É fundamental ter uma dieta equilibrada rica em fibras e pobre em gorduras saturadas animais, açúcar e sal em excesso. Deve-se ingerir bastante liquido e evitar cigarro, bebidas alcoólicas e refrigerantes", completou Marcella, também Membro da Sociedade Francesa de Dermatologia.

Aliado a isso, atividade física regular é, sem dúvida, o melhor complemento. "É muito importante praticar exercícios físicos para melhorar a circulação sanguínea e tonificar a pele. Fazer drenagem linfática duas vezes por semana, pois descongestiona as regiões com acúmulo de liquido, eliminando toxinas", completou.

Comente

Últimas