Queda de Cabelo, sinal de alerta!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Queda de Cabelo sinal de alerta

Em qualquer etnia, religião ou país, os cabelos são considerados mais que parte vital do corpo, sendo vistos também como fator estético. Eles refletem várias características do indivíduo, entre elas, sua saúde, apresentação pessoal e condição econômica. Além disso, os fios servem como um importante protetor para a cabeça contra radiação solar e até traumatismos.

Mas nem tudo são flores. Quando caem em excesso, os cabelos podem dar muita dor de cabeça ao seu "dono". "Fisiologicamente é normal perder em média 100 fios por dia durante seis meses. Acima disso, pode ser uma patologia e precisa ser tratada", explica a dermatologista Jackeline Mota, de São Paulo. O crescimento dos fios demora entre de dois e cinco anos.

A queda de cabelos, também chamada alopecia, tem várias origens. "Ela pode ser ocasionada por dieta errada (má alimentação ou regimes radicais), anemia, infecções, estresse emocional, problemas hormonais, doenças venéreas (como a sífilis), agressões externas (tratamentos químicos) ou pela genética. Entre as mulheres também há uma causa bem comum, chamada tricotilomania (hábito de puxar o cabelo até que ele caia)", conta Meire Brasil Parada, dermatologista da Unifesp.

Independentemente do motivo, o problema costuma acarretar sérios problemas emocionais e de auto-estima. A auxiliar de enfermagem Marina de Jesus, por exemplo, foi vítima da queda por estresse. "Quando meu pai faleceu fiquei tão nervosa, que meu cabelo não parava de cair, até hoje estou em tratamento, mas tem que ter paciência", relembra ela.

Já a queda por motivo genético apresenta características específicas. Ainda de acordo com a dermatologista Jackeline, "aparecem entradas e coroinhas. Em algumas situações, o paciente reclama que o cabelo está afinando, mas não sente ele cair".

Para os homens, talvez o maior fantasma da vaidade seja a calvície. Oitenta por cento da população mundial possui calvície genética, ou seja, ela é inevitável e se manifesta em graus. De todos os tratamentos existentes, o mais eficaz é com Finasterida, substância que fortalece o bulbo capilar e o fio a longo prazo. Apesar do mal atingir também as mulheres, a Finasterida não pode ser usada nas pacientes em idade fértil. Se isso acontecer durante a gestação, o feto corre o risco de sofrer alterações em sua formação.

Geralmente o tratamento da queda de cabelos é feito com complexos vitamínicos e loções tópicas, que exigem muita paciência e disciplina, pois precisam ser aplicadas diariamente e o resultado só é visto após dois ou três meses. "Se a queda for por estresse, é preciso buscar meios de curá-lo, se for devido à anemia, tem que tomar vitaminas, repor ferro, etc", completa Jackeline Mota.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas