Rosana Hermann

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Rosana Hermann

A jornalista Rosana Hermann divide a apresentação do programa "Atualíssima" com Leão Lobo, na Band.

Apesar de comandar a atração todas as tardes, de segunda a sexta-feira, ela consegue encontrar um tempo para se exercitar. "Faço pilates há muitos anos, duas vezes por semana, caminho nos outros dias e nado nos finais de semana".

Apesar de estar mais regrada em relação à alimentação, Rosana assume que já fez dietas "malucas" e consumiu remédios para emagrecer, mas garante não precisar mais disso. "Há muitos anos decidi não tomar remédio nenhum para emagrecer", declara a jornalista, que tem 50 anos "mas nem parece", como diz.

Em entrevista ao CyberDiet, a apresentadora da Band diz também que tem uma vida equilibrada e estável, o que auxilia nos cuidados com a saúde. "Costumo estar em contato com a natureza. Tenho sete cachorros, uma horta e sempre que posso fico ao ar livre", completa.

Como meta, Rosana Hermann adotou o "ficar magra sempre". Para manter o peso, ela tenta fazer com que seus quilos sejam iguais à sua idade. Com 50 anos, quer pesar 50 quilos e assim por diante. "Se for nesse ritmo, um quilo por ano, vou chegar aos 100 anos com 100 quilos. Mas aí tudo bem, né?", se diverte.

ENTREVISTA AO CYBERDIET Como costuma ser sua alimentação?

Desde fevereiro adotei como regra comer de três em três horas, cinco refeições por dia.

Você faz algum exercício?

Faço pilates há muitos anos, duas vezes por semana, caminho nos outros dias e nado nos finais de semana. De vez em quando, corro também. Na praia, só ando de bike.

Já se submeteu a alguma dieta?

Muitas. Algumas totalmente malucas, outras irresponsáveis e algumas com medicamentos. Mas há muitos anos decidi não tomar remédio nenhum para emagrecer.

Qual tipo de comida você não deixa fora do cardápio?

Verduras, grãos e frutas. Posso viver sem carne, mas não consigo viver sem verduras e legumes, que eu realmente adoro.

Já fez alguma cirurgia plástica?

Nunca fiz plástica. Já pensei em fazer sim, mas nem cheguei a procurar um médico. Talvez um dia eu tire o excesso de olheiras ou de pálpebras, mas teria que ser algo bem leve. Eu sou muito 'natureba' e gosto da idéia de esforço para obter recompensa. Prefiro viajar até o Mar Morto para fazer um banho de lama do que pegar um táxi até uma clínica de cirurgia.

Quais os cuidados básicos que você tem com a saúde?

Não sou uma pessoa de excessos, tenho uma vida boa e comedida. Não como muito, não bebo, não fumo e faço exercícios. Tenho uma vida equilibrada e estável, em todos os sentidos. Faço todos os exames anuais recomendados pelo ginecologista, tenho uma dermatologista que cuida da minha pele e costumo estar em contato com a natureza. Tenho sete cachorros, uma horta e sempre que posso fico ao ar livre.

Como foi sua adolescência? Era feliz com seu corpo ou queria mudar alguma coisa?

Logo cedo, eu descobri que o corpo não seria o meu ponto forte. Sou baixinha, sempre fui gordinha. Eu era a adolescente engraçada e espertinha, mas sempre tive muitos namorados! Meu corpo sempre foi para o prazer, o esporte, a liberdade, nunca associei a forma física ao poder de sedução, de conquista. Mas minha batalha sempre foi mais pela auto-aceitação do que pela transformação. Minha palavra não é 'mudar', mas sim 'melhorar'.

Quer mudar algo hoje em dia?

Minha meta é ficar magra para sempre. Inventei uma coisa meio louca, uma brincadeira de aceitação do meu peso e do processo de envelhecimento, que é ter o peso da minha idade. Quero chegar aos 52 anos com 52 quilos. Se for nesse ritmo, um quilo por ano, vou chegar aos 100 anos com 100 quilos. Mas aí tudo bem, né? (risos)

Quais cuidados básicos você tem com a estética?

Minhas unhas são fracas, então, tomo um complexo para fortalecer unhas e cabelos. Faço as unhas toda segunda-feira, às vezes duas vezes por semana. Faço tintura a cada 20 dias. E, por conta do trabalho na TV, faço maquiagem e arrumo os cabelos todos os dias. Não saio da porta de casa sem filtro solar e uso xampus à base de castanha-do-pará.

Quando você optou pelo jornalismo? Qual foi o seu trabalho mais marcante na área?

Sou formada em Física pela USP (Universidade de São Paulo), com mestrado em Física, também pela USP. Depois, mudei para comunicação. Mas acho que meu trabalho mais marcante foi como uma das âncoras do "Fala Brasil", da Rede Record, na primeira versão do telejornal.

Acredita que as notícias de celebridade têm a mesma importância do que as outras?

A indústria de notícias sobre celebridades é muito poderosa e, talvez, uma das que mais cresce no mundo editorial das revistas. Fama, beleza e boa forma são assuntos essenciais no dia-a-dia de todo mundo. Particularmente sou muito mais adepta da categoria 'hard news', mas sou louca por uma fofoquinha de TV. Leio todas as colunas e cadernos do gênero.

Prefere impresso, internet, rádio ou televisão?

Televisão para trabalhar, internet para pesquisar e me informar, rádio para me entreter e mídia impressa para me aprofundar. Mas hoje acho que a mídia mais importante para mim é a internet mesmo.

Como é trabalhar na apresentação do "Atualíssima"?

É ótimo e me faz muito bem. O programa é ao vivo e diário, duas coisas que adoro. Desde que entrei nele, voltei a me sentir mais feminina, comecei uma reeducação alimentar, resgatei o prazer de me vestir bem. Sou de uma geração 'engajada', que durante muito tempo desprezou a forma em detrimento do conteúdo. Mas não adianta ser culta, erudita, inteligente e super letrada se você se olha no espelho e se sente a última das mulheres. E quer saber? Dá para conciliar tudo sim. Mulher consegue. Não somos o sexo forte nem o sexo frágil. Somos o sexo sábio.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas