Roupas: para todos os gostos, mas não para todos os tamanhos

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Roupas para todos os gostos mas não para todos os

Os padrões ditados pela estética ressaltam medidas mínimas, corpos magérrimos e sarados.

Apesar disso há uma grande parcela de mulheres e homens que estão fora dessas medidas. Atualmente existe um número grande de lojas que vendem roupas em tamanhos especiais. Mas, mesmo assim, não é fácil para os obesos comprar roupas do tamanho que eles usam e do modelo que gostam.

"Quando quero uma roupa diferente da básica, costumo comprar fora do Brasil, já que nos Estados Unidos existem muito mais obesos que aqui. Lá eu encontro roupa de todos os tipos: esporte, de gala, entre outras", afirma o ator Renato Franco, o Julião, da novela global "Malhação", que pesa 190 quilos.

Mas para quem não tem condições financeiras de importar roupas do exterior, uma alternativa são as costureiras particulares. As pessoas obesas muitas vezes se sentem melhor pedindo para uma costureira fazer a roupa do que ir até uma loja comprar. Este é o caso da professora Lisandra Almeida, de 32 anos e 123 quilos.

"As roupas que eu normalmente uso são feitas por costureiras, pois me sinto mal comprando em uma loja em que todo mundo fica me olhando experimentar", diz.

Para Lisandra, as roupas que estão na moda não caem bem nela: "Eu procuro usar roupas largas como camiseta e calça, que são mais básicas. Não me visto de acordo com a moda, apesar de ter vontade. Mas quando experimento uma roupa diferente da que estou acostumada a usar eu não me sinto bem, mesmo achando que ficou bonito. Eu sempre acho que todos estão me olhando quando me visto de outra forma".

Listras, não!

Um problema na relação entre obesos e lojas é o preconceito com roupas mais modernas. Especialmente por parte das mais interessadas, as consumidoras acima do peso.

"Apesar de costurarmos de acordo com a moda, ainda existe preconceito por parte das consumidoras, de não querer usar cores claras ou listrado por acharem que engorda ainda mais. É difícil convencê-las de que elas podem ser sensuais mesmo sendo gordinhas. Elas também podem ser ousadas até para se sentirem melhor", explica Meri Koulioumbar, gerente da loja Tulnitex, especializada em roupas para obesas.

"Nós procuramos costurar de acordo com as cores e modelos que estão na moda, mas é lógico que adaptamos para as clientes acima do peso. Se a moda é blusa de alcinha, colocamos uma alça um pouco mais larga para que elas possam usar sutiã", diz Meri.

Mudanças

O número de pessoas obesas aumenta a cada dia, mas mesmo assim os lojistas ainda afirmam que o número de consumidores diminuiu nos últimos tempos. A razão? Cirurgia no estômago.

"Nós temos muitos clientes, mas também perdemos alguns mais antigos por causa da cirurgia no estômago. Eles passaram a usar tamanhos inferiores ao que vendemos", afirma Luzia Siqueira, gerente da loja Varca, especialista em roupas para obesos.

Para a advogada Gislaine Nunes, que fez a cirurgia no estômago, a mudança de peso foi fundamental para dar outro sentido a sua vida.

"A mudança na minha vida depois da cirurgia foi radical, principalmente na minha maneira de vestir. Antes eu entrava nas lojas, tinha dinheiro e não podia comprar por não ter o meu tamanho, fora a descriminação das próprias vendedoras, que ficavam me olhando como se eu não fosse uma pessoa "normal". Hoje eu posso usar um terninho abotoado, que antes eu não conseguia, posso usar roupas mais modernas", declara.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas