Sorriso branquinho

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Sorriso branquinho

Quem é que não quer escovar os dentes e sair por aí com um sorriso igual ao da propaganda de pasta de dentes? Esta é uma realidade que já está ao seu alcance. A odontologia estética proporciona hoje muitas opções para o sorriso perfeito. Mas o mais importante, continua sendo ter uma higiene bucal impecável. Confira algumas dicas sobre o assunto:

Pasta de dentes - como escolher?

São tantas as opções de pasta nas gôndolas de farmácias e supermercados que ficamos perdidos na hora de escolher. O Dr. Jorge Alberto Jorge especialista em saúde gengival (periodontia) estética e implantes dentários, revela-nos um pouquinho mais sobre a pasta que temos na pia: "A pasta é formada por um detergente especial que quebra as moléculas de gordura, um pouco de abrasivo que estimula o atrito e remoção da placa bacteriana (geralmente é usado o bicarbonato de sódio, em alguns casos sílica), flúor na forma de fluoreto de sódio, um agente clareador (peróxido de hidrogênio), algumas usam um agente bactericida, sorbitol para adoçar e, é claro, o sabor. Algumas possuem ainda algum componente medicinal". Incrível, né?

De acordo com Dr. Jorge, o mais importante mesmo é que a pasta tenha 0,15% de flúor: "Os custos das pastas dentais estão muito mais associados ao marketing do que à eficácia do produto. A pasta é um veículo que proporciona prazer, o importante é o atrito da escova."

Uma coisa importante: não existe comprovação de que as pastas medicinais possuem êxito em uma gengiva doente. Se você estiver com problemas, antes de tentar resolvê-los comprando pastas que prometem soluções, vá ao dentista, somente ele poderá indicar o tratamento adequado.

Ah... uma curiosidade: as crianças gostam daquelas pastas em gel, pois o gostinho de frutas só pode ser manipulado em gel, você sabia?

Escova

Como no caso da pasta, a variedade chega a confundir, mas na hora de comprar procure uma marca boa, ponha a mão no bolso, afinal cerdas muito duras e de menos qualidade podem machucar a sua gengiva. "A escova é a melhor maneira de higienização em conjunto com

o fio dental. O atrito libera a placa bacteriana agregada ao dente", afirma o Dr. Jorge.

Higiene bucal começa cedo: a partir dos 3 meses a criança já deve começar com dedeiras massageadoras. Isso até os dois anos de idade, quando passam a escovas pequenas, trocando para escovas de adultos aos 14 anos, quando a boca já atinge 90% de seu desenvolvimento.

As opções são cerdas uniformes ou de duplo relevo, existem escovas especiais ( você sabia que tem uma só para quem usa aparelho fixo? São as ortodônticas). Na verdade, escolha a que você mais gostar (tamanho, cerdas), procurando as com cerdas sintéticas. Uma dica: para quem não consegue alcançar os dentes lá no fundo, talvez uma cabeça de escova mais arredondada e menorzinha possa resolver o seu problema.

As escovas elétricas não são simplesmente frescura, elas são de grande auxílio para quem apresenta ausência de destreza manual.

Troca: as escovas duram de 2 a 3 meses, depois deste prazo adquira uma nova.

Fio dental

Nem todo mundo tem o hábito de usar o fio ou fita dental, mas são justamente eles que conseguem alcançar a área de contato entre os dentes. Um trecho que geralmente fica negligenciado pelas escovas. Deve-se usar e, quem não fizer seu uso terá problemas ao 40 anos de idade. O Dr. Jorge explica que "as condições ideais e proteção que o osso fornece vão se perdendo durante o tempo e a gengiva sofre as conseqüências. O alimento começa a grudar na parede do dente e você só consegue tirar com raspagens". Portanto, ele deve sim ser usado! "A boca é um local totalmente inóspito, um local de difícil higienização, está mastigando forte, recebendo forças de stress e fadiga e há fermentação. O tártaro está sempre se formando", completa.

Famosos por deixar um frescor na boca, os enxaguatórios funcionam apenas como complemento, não podem substituir a escovação.

Bafo de Onça

Uma grande parte da população brasileira sofre com o problema do mau hálito. Pior é que sofrem os que têm e os que não têm, já que quem anda com bafo por aí nem sente, da mesma forma que um fumante se acostuma com o cheiro do cigarro! A causa mais comum é a falta de higiene, sem escovar com freqüência os dentes, forma-se aquela substância branca na boca, que fica principalmente na superfície da língua. Ela é produto do resto de alimentos e é o banquete das bactérias que causam o mau cheiro.

Este odor é causado por uma reação que libera compostos de enxofre feita por estas bactérias enquanto se alimentam, portanto nada de bactérias, nada de saburra (é o nome da substância branca) e nada de bafo. Escove os dentes e a língua também, assim você terá um hálito melhor através de um recurso simples e não precisará recorrer à balinhas e chicletes.

Infelizmente, existem casos em que a halitose é causada por doenças ou problemas de estômago, pesquise a causa, só assim você encontrará a melhor solução para o seu caso. O Dr. Jorge esclarece que "algumas pessoas tem predisposição devido à língua ter uma superfície mais rugosa, acumulando mais saburra".

Uma sugestão, além da escovação da língua, é um aparelho raspador, indicado para quem é mais sensível.

Principais alimentos que causam a formação da saburra: doces e alimentos fermentáveis (leite, laticínios).

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas