Talassoterapia

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Talassoterapia

Que o mar é bom para se divertir, refrescar e espantar o stress todo mundo já sabia. O uso do mar e de seus elementos em estética também não é nenhuma novidade. Produtos de beleza à base de algas e sais minerais são bastante comuns no mundo da beleza. E como a guerra anti-stress anda mobilizando milhares de tratamentos, um método que vem sendo muito utilizado nas clínicas de estéticas é a talassoterapia, que utiliza a água do mar, algas, esponjas, corais e anêmonas.

Na Grécia antiga já se conhecia e se fazia uso terapêutico dos muitos benefícios da água salgada. Por isso a Talassoterapia (thalassa = mar e terapia = cura) tem conquistado tantos seguidores fiéis. E os resultados são altamente positivos, principalmente em pessoas com artrite, osteoporose, reumatismo, gota, nevralgia entre outros males.

Em versão moderna, o banho alia as propriedades curativas dos sais minerais e de partículas de algas marinhas desidratadas a óleos aromáticos e cores que são aplicadas de acordo com as necessidades de cada cliente. A banheira é preparada com água potável e é aplicada uma pastilha efervescente com propriedades que simulam o fundo do mar.

"São jatos com saída de água e ar que são estrategicamente posicionados em 96 pontos energéticos do corpo, durante 30 minutos, com o intuito de relaxar e complementar tratamentos corporais", explica a fisioterapeuta Juliana Damião, da Clínica Shape. "São bastante indicados por cirurgiões plásticos para melhorar a drenagem linfática, ativando a circulação periférica, acelerando a eliminação de toxinas, além de diminuir a ansiedade antes da cirurgia".

Juliana explica que no banho de imersão em água salgada por pelo menos 15 minutos há uma transferência de íons entre a água e o nosso corpo através da pele, estimulando a drenagem linfática, que vai facilitar a liberação de impurezas, toxinas, gordura e radicais livres, impurezas que provocam o inchaço e a celulite.

A pressão dos jatos também proporciona estímulos para a aplicação da reflexologia, onde os pés recebem a massagem da água ativando o retorno venoso, a linfa, restaurando, de forma equilibrada, a energia do organismo. Ao mesmo tempo, pontos de luzes mudam a cor da água, trabalhando segundo os conceitos da cromoterapia.

A estudante Priscila Pedrosa Santiago experimentou o banho a convite de Cyber Diet e aprovou. "A água é morna e muito agradável. Os jatos são fortes, mas não agridem. Muito pelo contrário". Priscila, que não queria mais sair da banheira, garante que vai fazer da talassoterapia uma rotina em sua vida. "Relaxa muito. É bom demais".

A talassoterapia só é contra-indicada para gestantes e pessoas que apresentam micoses e algum corte pelo corpo. Os preços variam muito de clínica para clínica, mas, em média custam R$ 45,00.

Colaborou para esta matéria: Shape

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas