Técnicas para remover a tatuagem

técnicas para remover a tatuagem

Que tatuagem é coisa séria não restam dúvidas. Mas, mesmo assim, as pessoas ainda as fazem sem pensar muito, o que dá margem a arrependimentos.

Segundo a tatuadora Tatiana Alves, que faz reformas de tatuagem e cover-up, quem mais a procura são mulheres de 20 a 40 anos que desenham nomes de namorados e percebem que o desenho da tatuagem não ficou bem feito ou que tatuaram algo que não combina com a essência da pessoa. São transtornos evitáveis. Antes de fazer sua tatuagem, pense bem no desenho, planeje junto a um tatuador de confiança, pense que se trata de uma arte que pode ser a manifestação de sua essência.

Entretanto, sabemos que nem sempre temos paciência para planejar. Então, caso pinte aquele arrependimento, existem maneiras de corrigir. Só não garantimos um bom resultado estético.

Isso porque algumas técnicas podem deixar cicatrizes e manchas. Tatiana cita seis métodos para as arrependidas: remoção cirúrgica, reforma da tattoo, cover-up, remoção a laser, dermoabrasão e despigmentação.

Na remoção cirúrgica, todas as camadas da pele que contém pigmentos serão retiradas, de forma que uma cicatriz linear acabará ficando. "Os desenhos menores podem ser removidos usando analgesia simples e os maiores com anestesia geral", explica. Ela é usada especialmente em desenhos multicoloridos, feitos em locais de fácil cicatrização, segundo Tatiana. Por aproximadamente R$ 500 o procedimento pode ser realizado.

A remoção a laser pode ser um pouco mais complicada. "Enquanto uma tatuagem dói, leva tempo e pesa no bolso, retirá-la tende a ser muito pior em todos os aspectos. É preciso várias sessões para que se tenha um resultado satisfatório", alerta a tatuadora. Ela explica que remover tatuagens com pigmento preto é mais fácil, mas o problema mesmo vem com cores como vermelho e amarelo. "A luz produzida pelo equipamento esquenta e explode o pigmento, que é destruído mais facilmente pelas células da pele", explica. A técnica pode sair pela bagatela de R$ 500 a R$ 1500 por sessão, sendo que elas podem variar de cinco a vinte.

Talvez o cover-up seja o mais fácil e barato. Como o nome propõe é a cobertura da antiga tattoo por uma nova. "Mas é bom ter em mente que o desenho terá que ser ao menos um pouco maior que o anterior (às vezes bem maior) afinal, não tem como esconder um elefante atrás de um ramo de flores. As cores terão que ser mais escuras, pois o pigmento escuro não pode ser coberto por pigmento claro, visto que um será aplicado sobre o outro, e não em sua substituição", pondera Tatiana.

Já a dermoabrasão, inicialmente concebida para remoção de cicatrizes, pode levar de alguns minutos a uma hora e, às vezes, uma sessão é suficiente. O objetivo é "refinar a pele", onde um lixamento dela com um instrumento abrasivo é feito, e as chances de ficarem cicatrizes são pequenas. Mas Tatiana lembra: a dermoabrasão também é um procedimento cirúrgico que pode custar de R$ 500 a R$ 1500 por sessão.

Por fim há a despigmentação. Ela é, na verdade, uma técnica de maquiagem definitiva, camuflagem e correção. "Geralmente é usada para maquiagem definitiva, mas na remoção de tatuagens é um procedimento menos dolorido que funciona bem associado ao laser", completa a tatuadora. Ela também conta que o que acontece é a despigmentação da tatuagem, e o que resta de cor ganha uma camuflagem. "É indicado para cobrir tatuagens coloridas ou pretas menores, com menos custo", adiciona.

Como percebemos, voltar atrás não é nada simples, muito menos barato. Por isso, vale a pena planejar sua tattoo com calma, procurar um bom profissional e buscar um desenho que combine com sua personalidade e essência. Afinal, até segunda ordem, ele ficará em sua pele para sempre.

Comente

Últimas