Therma Cool: plástica sem cirurgia a qualquer hora

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Therma Cool plástica sem cirurgia a qualquer hora

O aparelho é o novo aliado para quem busca retardar o envelhecimento mais uns aninhos. Chega ao Brasil um equipamento que promete ser a nova sensação na medicina estética.

O ThermaCool, também chamado Thermalift, já foi alvo de pesquisas, como a realizada pela Universidade de Stanford, na Califórnia (EUA). Ele também conta com a aprovação do FDA americano, órgão que regulamenta medicamentos e alimentos nos Estados Unidos.

O ThermaCool é um procedimento que reduz os sinais do envelhecimento cutâneo, permitindo uma aparência mais jovem. "Ele também pode ser usado para amenizar cicatrizes de acne, atuando inclusive na acne em atividade", diz a especialista em dermatologia Ana Lúcia Recio, de São Paulo, que está trazendo a novidade ao Brasil.

Ele não é um laser. O equipamento atua por um sistema de radiofreqüência que incorpora um resfriador para proteger a superfície cutânea enquanto a energia RF aquece e modifica o tecido dérmico onde se encontram as fibras colágenas responsáveis pela sustentação da pele.

"O equipamento tem efeito tensor e por isso é indicado especialmente para a área ao redor dos olhos, próxima da mandíbula, onde a sensibilidade da pele deixa o contorno mais flácido", explica a dermatologista Ana Lúcia Recio.

A aplicação do ThermaCool é feita com o uso de pomada anestésica local, uma hora antes da sessão começar. O paciente sente um aquecimento rápido do local tratado, seguido de resfriamento e alívio.

Pacientes que se submeteram ao tratamento relatam que após o ThermaCool, seus olhos ficaram mais abertos e mais levantados, especialmente na área das sobrancelhas.

Essa nova técnica é um procedimento não-invasivo (sem cortes ou sangramento). Após o tratamento, o paciente pode retornar às atividades habituais.

Segundo a dermatologista Ana Lúcia Recio, o ThermaCool pode ser aplicado em qualquer tipo de pele. Os resultados podem ser vistos entre 2 e 6 meses, mas alguns pacientes apresentam diferenças em período menor. "Estudos recentes mostram que as melhorias continuam ao longo de seis meses após uma única sessão", afirma a especialista.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas