Unhas: saiba como cuidar

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Veja como proceder quando elas ficam amareladas, esbranquiçadas ou quebradiças

De olho nas unhas

Pintar as unhas já faz parte da rotina de beleza de qualquer mulher. Na hora do almoço, no fim de semana, não importa, sempre arranjamos um espacinho na agenda para passar na manicure e dar um bom trato nas unhas.

E você por acaso aproveita para ver como anda a qualidade das suas unhas entre uma esmaltada e outra? Se não, é hora de reparar. Sem os cuidados necessários, elas podem ficar amareladas, esbranquiçadas ou quebradiças.

A coordenadora técnica de treinamento das manicures da Esmalteria Nacional, Fernanda Oliveira, explica que alguns esmaltes são mais pigmentados e acabam ultrapassando a camada de base incolor, deixando a unha amarela.

Nem todos os esmaltes de cor escura causam este amarelamento, mas a dermatologista Dra. Cláudia Sá conta que os esmaltes de cor vermelho escuro, vinho, preto e marrom tendem a encardir a unha, sobretudo os que não são de boa qualidade ou quando a unha está frágil e porosa.

Para minimizar o problema, Dra. Cláudia orienta parar de usar o esmalte e hidratar as unhas por um período. Outra dica é usar água oxigenada de 10 volumes com uma escova diariamente. "O peróxido de hidrogênio (água oxigenada) tem poder clareador e não é prejudicial para a saúde", afirma.

Fernanda sugere que a mulher evite o uso frequente de esmaltes com cores de pigmentação forte e conta que o amarelado da unhas não sai apenas com a troca de esmalte. "É preciso ter alguns cuidados extras, como lixar a unhas com uma lixa de polimento 3 em 1", completa.

A médica lembra ainda que existem fungos, principalmente os não-dermatófitos (que não necessitam de queratina para crescer), que são capazes de alterar a cor da unha. Neste caso é preciso fazer um tratamento para que a unha volte à cor normal.

Se você notar que suas unhas estão esbranquiçadas, atenção: isso pode ter vários motivos. Entre os externos estão o uso de produtos químicos, danos provocados por alicates e alguns componentes do removedor de esmalte. E entre os internos, a falta de vitaminas e proteínas.

"As unhas também podem ficar esbranquiçadas por ressecamento ou por micose (causada pelo T. mentagrophytes ou T. rubrum). Uma boa avaliação profissional pode ser necessária para descobrir o que está provocando o problema, principalmente quando observamos que apenas algumas unhas estão esbranquiçadas", explica a dermatologista.

E orienta: o ressecamento das unhas pode ser atenuado com o uso de hidratante específico por cerca de três semanas. "Caso isto não ocorra, o ideal é procurar um dermatologista, pois pode ser sintoma de algum problema de saúde, como alterações da nutrição ou doenças, como as de tireoide."

Fernanda diz que a parcela de culpa dos esmaltes no efeito esbranquiçado das unhas é mínima e que há também manchas que são causadas por atrito das unhas. Por isso, cabe à mulher cuidar e proteger as mãos antes de fazer as tarefas domésticas. "Retirar o esmalte com antecedência evita o aparecimento destas manchas e, até dois dias antes da pintura, procure hidratar as unhas com cremes à base de ureia", sugere.

Agora se você notar que as unhas estão quebradiças faça uma boa avaliação do que você tem colocado no prato. Uma dieta pobre de proteínas e vitaminas reflete nas unhas e cabelos. "Procure um dermatologista que possa indicar uma vitamina correta ou medicamento a ser utilizado. Algumas medidas simples são usar bases com fortificante e comer alimentos que são fonte de proteínas, vitaminas A e complexo B", diz a coordenadora técnica da Esmalteria Nacional.

A dermatologista dá outras orientações gerais: "A remoção da cutícula fragiliza as unhas e abre portas para germes - fungos e bactérias. O ideal seria usar removedor de cutícula em creme para hidratar e remover a parte mais ressecada das cutículas sem, contudo, cortar o excesso com alicates". E finaliza: "Outro cuidado muito importante é a higienização e a esterilização dos alicates, pois o vírus da hepatite, por exemplo, é capaz de sobreviver nas laminas por cerca de 15 dias."

Juliana Falcão (MBPress)


  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas