Uso de gorduras abdominais nas cirurgias plásticas

Saiba mais sobre a prática que vem ganhando espaço no Brasil

Uso de gorduras abdominais nas cirurgias plásticas

O Brasil tem ganhado destaque pelas inúmeras intervenções cirúrgicas estéticas que vem fazendo nos últimos anos. A mais nova tendência entre as mulheres é o uso de gordura abdominal para encobrir imperfeições do rosto, dos seios e até mesmo para aumento dos glúteos.

No caso de enxertos, o procedimento é recomendado para disfarçar as marcas de expressão, dar mais evidência aos lábios e ainda corrigir o famoso bigode chinês.

A vantagem para quem escolhe esta novidade é que não há rejeição e o resultado, se bem aplicado, é bem mais natural, além da recuperação que é bem mais rápida.

A técnica ganhou fama com a lipoescultura, em que você retira a gordura do abdômen e a coloca nos glúteos, sem a necessidade de encarar uma prótese. Porém, o segredo está no processo de como ela é feita. Como a gordura passa por uma purificação, ela se torna rica em células-tronco, o que favorece o aumento da massa muscular na região.

E quem pensou que a cirurgia de mamas se limita a prótese se enganou. O uso de gordura na região vem se tornando uma tendência entre as mulheres. Vale lembrar que neste caso, existem duas formas de enxertos: se o procedimento é feito sem a prótese, o aumento das mamas é visivelmente menor, porém evita complicações como a rejeição da prótese ou a formação de contratura capsular.

Mas se caso a escolha seja por implantar uma prótese de silicone, muitas vezes a cirurgia pode deixar um pequeno desnível no implante, e é aí que a gordura age para camuflar esse desnível, melhorando o contorno dos seios.

Os valores de cirurgias deste porte variam de acordo com as necessidades e o desejo de cada paciente, por isso é necessário pesquisar antes de sair fazendo qualquer tratamento em qualquer lugar. Mas lembre-se, dificilmente, alguma destas intervenções sai por menos de R$ 1.500.

Por Helena Dias


Comente

Últimas