Voluma - a evolução do hialurônico

Voluma  a evolução do hialurônico

Quando envelhecemos, o corpo vai diminuindo o ritmo do metabolismo, ficando mais fraco e cansado. Quem mais sofre, mais aparentemente, é a pele, que fica flácida, fina e sensível.

Uma infinidade de cosméticos é lançada todo ano para dar uma mão ao metabolismo, na promessa boa de preencher aquilo que o tempo já não mantém mais. É o caso do "Voluma", a nova versão do "ácido hialurônico", usado para correção de sulcos e rugas apenas. Esse novo produto vai bem mais longe.

Ele surgiu no mercado com o intuito de rejuvenescer um pouco a pele, driblando os efeitos da velhice que, claro, ninguém escapa. "Quando envelhecemos, todas as estruturas que dão sustentação à face (colágeno, elastina, músculos e ossos) vão sendo reabsorvidas pouco a pouco, fazendo com que o aspecto jovem se perca gradativamente", explica a médica Fabiana Pietro, de São Paulo.

Segundo ela, os benefícios da aplicação de um cosmético como o "Voluma", por exemplo, estão principalmente na recuperação de áreas que apresentam flacidez. O tratamento é feito com preenchimento, devolvendo o "recheio" para o local afetado, por meio do ácido hialurônico, utilizado para hidratar e acabar com rugas. "Ele expande a região que está atrofiada, ou que perdeu volume, devolvendo ao local o contorno perdido com a queda e reabsorção das estruturas".

Isso significa que o "Voluma" pode ajudar no preenchimento do dorso das mãos, mas também atenuar as marcas que as olheiras deixam. A novidade maior, porém, é corrigir imperfeições como ângulo da mandíbula, nariz com ponta caída, nariz pequeno demais, queixo curto, e algumas outras características que, antes, só poderiam ser melhoradas cirurgicamente.

O produto não tem lá grandes restrições, porém, a quem apresentar algum tipo de infecção na derme está vetado de aplicar o produto. Fora isso, até mesmo jovens podem usar. "Para quem ainda não apresenta flacidez, a indicação pode ser feita como um ‘embelezador’ da face, ou seja, podemos evidenciar algumas regiões que não estão esteticamente belas, como a curvatura da região malar ou a correção de olhos fundos", afirma Fabiana, também professora da Sociedade Brasileira de Medicina Estética e responsável pelo ambulatório de peelings do local.

"O ‘Voluma’ faz parte de um novo conceito de beleza conhecido ‘face number’. A estética agora tem o auxílio da matemática, proporcionando maior precisão na aplicação do produto, uma vez que, com a escolha dos pontos corretos de aplicação, é possível conquistar uma beleza harmônica e natural, tornando mais feminino o rosto de uma mulher que tem a aparência mais masculina, ou deixando o rosto mais masculino de um homem com aspecto mais feminino", completa a especialista. "Há uma proporção matemática na natureza relacionada à beleza que define medidas entre a altura e localização dos olhos, formato do nariz e queixo, curvatura da boca, altura das sobrancelhas".

Segundo Fabiana, cada tipo de tratamento e cada tipo de pele requerem um número de sessões específicas. Mesmo assim, geralmente já na primeira aplicação a cliente pode notar alguma diferença satisfatória. Cada aplicação do "Voluma" pode variar de R$ 2700 a R$ 3200.

Comente

Últimas