5 mitos veganos

A dieta sem produtos de origem animal pode ser mais vasta do que imaginamos

5 mitos veganos

Até mesmo as melhores tentativas para popularizar o veganismo fracassaram. Muitos de nós imaginamos que os veganos são como párias ou hippies abraçadores de árvores. Como resultado, as pessoas nutrem mitos a respeito do veganismo - e a respeito das pessoas que optam por essa dieta mais saudável.

Os veganos não consomem carne, ovos, laticínios ou qualquer outro produto de origem animal. E muitas celebridades adotaram esse estilo de vida, tais como Alicia Silverstone, Natalie Portman, Russell Simmons e Kristen Bell.

Lisa McComsey, co-autora de "The Vegan Cheat Sheet" (algo como "Os mitos das folhas veganas" em português), nos ajuda a esclarecer toda a confusão. Compartilhando crenças a respeito da dieta, McComsey aponta a verdade sobre o veganismo - e os benefícios dessa alimentação.

Mito 1: veganos não comem os nutrientes necessários

Verdadeiro ou falso: fontes de proteína advém apenas da carne. Falso, diz McComsey. A dieta vegana reúne frutas, grãos, feijões, legumes e castanhas, alimentos cheios de vitaminas, minerais, fibras e proteína. Existe uma variedade grande de vegetais que funcionam como fonte de proteína e que não possuem a gordura saturada e o colesterol presentes nos produtos animais, segundo ela.

Mito 2: a dieta vegana é chata

Você acha que se resume a alface e tofu? Isso também não é verdade. "A dieta vegana é empolgante e aventureira, recheada com incríveis texturas, sabores e aromas", diz Lisa. Temperos como curry e açafrão adicionam um punhado de sabor a muitos dos pratos que os veganos gostam, enquanto grãos, incluindo a quinoa, o amaranto e o teff (um cereal comum na Etiópia). E que tal suas velhas favoritas como lasanha e panquecas? Pois elas continuam no menu. "Quando você consome coisas saudáveis, raramente terá que medir as porções ou contar calorias. Está tudo liberado!", conta a escritora. Lembrando que você não pode extrapolar nos outros itens veganos (vide as fritas) que possam aumentar seu peso - você ainda precisa pensar bem no que você come.

Mito 3: a dieta vegana é cara demais

McComsey diz que as comidas veganas, provavelmente, não vão lhe custar mais do que você gasta com os alimentos que compra hoje. Na verdade, a carne pode ser bem cara. Armazenando produtos, como feijões, grãos e castanhas, você pode criar uma dieta acessível. Uma vez que você pensar bem na sua lista de compras e estocar algumas coisas na cozinha, vai descobrir que não é apenas acessível, mas conveniente também. Com seus novos hábitos alimentares saudáveis, é provável que você economize uma graninha com remédios também, diz a escritora.

Mito 4: é difícil encontrar comida vegana

Não mais! Muitas lojas conhecidas têm uma grande variedade de comida vegana. A internet também é uma mina de ouro para esse tipo de produto. Grãos são fáceis de encontrar em quaisquer lojas, agora que seus benefícios estão amplamente difundidos na mídia. É só pesquisar.

Mito 5: veganos são estranhos

Tudo bem, o caso da Alicia Silverstone mastigar a comida e colocar na boca de seu filho foi um pouquinho bizarro, mas ela está no caminho certo com sua dieta. O velho estereótipo de que os veganos são militantes ou hippies com camisetas "Carne é Assassinato" não é mais tão verdadeiro assim. "Muitos veganos são as pessoas normais com as quais você convive todos os dias. Alimentados pelas plantas, os adeptos dessa dieta são, frequentemente, atléticos, fortes e em forma", diz Lisa. O objetivo não é ser magro, mas ser saudável, ativo e cheio de energia, acrescenta ela.

Transformação ao veganismo

McComsey, uma vegana moradora de Nova Jersey, Estados Unidos, pratica o que prega - embora admita que ainda sinta desejo pelos queijos. Ela entende que muitas pessoas acham que nunca conseguiriam suportar uma dieta sem produtos animais. Essa "esmagadora" sensação foi o motivo pelo qual ela se empenhou para escrever o livro em parceria com Amy Cramer.

"Quando as pessoas pensam que carne, leite e ovos estão "fora", eles imediatamente pensam em privação - que eles serão privados de todas as comidas que conhecem e amam e/ou seus corpos serão privados de nutrientes. Isso é simplesmente uma questão de má informação - e, provavelmente, isso também decorre de um certo medo", diz ela.

"Antes eu morria de medo de embarcar nessa minha experiência de um mês. Eu pensei que morreria de fome", conta Lisa. "Quando eu falava da minha transformação vegana, a maioria das pessoas ficava chocada ao saber de todas as maravilhosas comidas que eu podia comer (e comia!)", finaliza. Descubra seu lado vegano também!


Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Últimas