A epidemia da obesidade

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
A  epidemia da obesidade

No dia 26 de julho de 2.007, o jornal Folha de São Paulo publicou uma reportagem com o título: Obesidade é "contagiosa" entre amigos.

Isto é o resultado de um estudo norte-americano obtido a partir da análise detalhada sobre uma rede social de mais de 12 mil pessoas, num período de 32 anos (entre 1971 e 2003). Os pesquisadores sabiam quem era amigo de quem e se um indivíduo era irmão, cônjuge ou vizinho de outro. Os pesos das pessoas analisadas foram medidos em vários momentos.

Segundo os cientistas, as pessoas ficavam mais propensas à obesidade quando um amigo engordava. Já familiares tinham influência, mas menos que dos amigos. E mesmo a proximidade física não era relevante. O maior efeito era entre aqueles que se consideravam amigos próximos. Esse efeito também foi observado quando uma pessoa emagrecia. A genética teve sua influência, porque algumas pessoas têm metabolismo acelerado.

Para o cientista que liderou o estudo, as pessoas afetam a percepção de seus amigos sobre o peso: quando um bom amigo fica obeso, a obesidade deixa de parecer tão ruim. "Você muda sua idéia sobre qual tipo de corpo é aceitável ao avaliar as pessoas ao seu redor". O endocrinologista Dr. Marcos Tambascia acrescentou: "o estudo mostra que há uma perda de referência em relação ao corpo".

Na minha prática de trabalho com estimulação para o emagrecimento posso afirmar que isso tem um fundo de verdade. Quando emagreci, há 12 anos, notei essa reação nas pessoas que até escrevi o livro: "Emagrecer Também é Marketing". Com esse título eu quis dizer que, como marketing é uma guerra de percepção, meu emagrecimento influenciou muitas pessoas alterando suas próprias percepções, logicamente neste caso, para melhor.

Escrevi também em matéria anterior sobre o ambiente em que se vive. Quem quer emagrecer tem que estar num ambiente cooperante ao emagrecimento. Nessa matéria dei importância apenas à família. Não pensava que amigos influenciavam nos processos de emagrecimento e de ganhar peso.

A participação direta de pessoas conhecidas ou dos pais acontece muito. Quem está emagrecendo, constantemente recebe elogios e estímulos para continuar ou parar de emagrecer. Às vezes dizem para parar de emagrecer porque já está bom. Isso na cabeça deles. A pessoa queria eliminar mais uns quilos, mas aceita a sugestão externa.

Outra constatação é que o amigo obeso gosta de comer bem e faz convites aos demais e dependendo de seu estilo de vida e de sua genética poderá engordar. É prazeroso ver um obeso comer com satisfação, mas isso estimula a comer junto.

Cada um deve avaliar seus amigos e tirar suas conclusões.

Aguardo perguntas e sugestões.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas