A importância do trabalho interdisciplinar

A importância do trabalho interdisciplinar

Todos sabemos que a maioria dos casos de obesidade é motivada por fatores psicológicos. Mesmo os casos em que há algum distúrbio orgânico, deve ser considerado também o fator emocional.

Quando tratada apenas por médicos e esse ignora o fato, pode acontecer da pessoa emagrecer inicialmente, mas após algum tempo retornar ao peso anterior, pois a causa emocional não foi tratada, o que poderá levar a pessoa a comer novamente compulsivamente. Os médicos em geral enfocam a parte orgânica e, dependendo da formação, raramente perguntam quando o peso começou a se alterar, se começou após uma crise financeira, o término de uma relação afetiva, conflitos internos, fatores esses que podem contribuir para o aumento de peso.

Não é só a falta de conhecimento que faz com que uma pessoa engorde, pois há muita informação disponível para todos, mas é como se houvesse uma força dentro dela que enfraquece sua força de vontade, rouba-lhes o ânimo, a perseverança, determinação, impedindo de colocar em prática tudo aquilo que sabe.

Essa força é a motivação inconsciente, pois o inconsciente exerce um forte poder sobre as atitudes, atos e motivações e cabe a cada um identificar a origem da compulsão alimentar, que também pode ser auxiliado por um psicólogo.

As causas podem ser muitas. Por exemplo, há casos de pessoas que presenciaram a mãe dando a seu irmão, do qual não gostavam por ciúmes, frutas, legumes, verduras e passaram para estes a rejeição que tinham do irmão. Esse é apenas um exemplo dos diversos fatores que podem fazer com que uma pessoa tenha dificuldade para mudar seus hábitos alimentares, que quase sempre estão relacionados com alguma causa emocional. Por isso, a importância do trabalho ser feito por diversos profissionais, onde cada um complementa o trabalho do outro, contribuindo para um melhor resultado.

As propagandas insistentes sobre bolos, chocolates, balas, comidas com aparências irresistíveis levam as pessoas a acreditarem que tais alimentos são indispensáveis. Desde pequenos, por exemplo, somos condicionados a adoçar o leite, o café, o chá e raramente vemos o mesmo em relação à verduras e legumes. Há também muitas propagandas que enfatizam o valor de muitos remédios prometendo emagrecer com facilidade, obtendo rapidamente um corpo esbelto e levando a doce ilusão de que ao consumí-los rapidamente conseguirão seus objetivos.

Esses condicionamentos podem interferir em qualquer programa de reeducação alimentar. E, de ilusão em ilusão, passam a consumir todos os indicados. Não obtendo resultados ou conseguindo por apenas um tempo, se frustram, contribuindo por diminuir cada vez mais a auto-estima, deixando de acreditar serem capazes.

Eliminar alguns quilinhos, todos sabem na teoria, mas fazer isso com seriedade, responsabilidade, sabedoria, progressiva e lentamente é uma ciência que poucos sabem. Segue abaixo algumas dicas básicas para eliminar os quilinhos indesejados:

  • Deite, feche os olhos, relaxe cada músculo do seu corpo e imagine provar suas refeições com alegria, saúde, sem doces;
  • Caso não goste de verduras, legumes, frutas, siga o mesmo procedimento acima e deixe que seu inconsciente lhe traga informações sobre as circunstâncias em que você passou a não gostar desses alimentos. Ou ainda, procure informações como era sua alimentação quando criança pode ser que você descubra algum fato importante;
  • Ao fazer sua alimentação, preste atenção no aroma de cada alimento;
  • Observe também sua mastigação, fazendo-a lentamente;
  • Evite comer assistindo televisão ou lendo, pois isso fará com que coma sem perceber a quantidade;
  • Crie condições para você comer, prepare uma mesa arrumada, mesmo que seja só para você;
  • Durante a refeição evite pensar ou falar sobre as preocupações que estão te afligindo, pois não será nesse momento que você irá resolvê-las;
  • Utilize um prato pequeno para não cair na tentação de que deve acrescentar um pouco mais.
  • Evite ir ao supermercado ou fazer suas compras com fome, pois poderá comprar mais que o necessário.
  • Essas dicas não substituem a orientação da nutricionista, mas poderão lhe dar recursos psicológicos para trabalhar sua mente de modo benéfico para alcançar o resultado desejado, pois o pensamento tem influência em todo o corpo e organismo. O fato de estar atento à sua alimentação poderá fazê-la comer menos e ser mais moderada, contribuindo muito para o controle da compulsão alimentar.    

    Comente

    Últimas