A pressão de chegar ao primeiro lugar!

A pressão de chegar ao primeiro lugar

Nas Olimpíadas, o esporte mostra sua real dimensão. Os atletas são mais idolatrados do que de costume e toda a atenção do mundo se volta para eles. A cobrança e pressão por desempenho e resultado é o grande desafio dos competidores.

"Muitos chegam a procurar auxílio psicológico e algumas equipes contratam especialistas para auxiliarem o desenvolvimento emocional dos competidores", afirma o psicólogo João Ricardo Cozac, presidente da Associação Paulista da Psicologia do Esporte (ASSOPAPE).

O especialista, que já passou por clubes como Corinthians e Palmeiras, afirma que em sua clínica existem diversos casos de atletas olímpicos com queixas comuns de dificuldade de vencer, baixa auto-estima e altos níveis de ansiedade pré-competitiva. "O caso mais público é o da seleção feminina de vôlei, que hoje em dia conta com uma psicóloga de extrema competência auxiliando as atletas e comissão técnica a vencer os desafios que virão pela frente", afirma ele.

Mais do que o próprio desejo, estes profissionais carregam a missão de alegrar e superar expectativas de uma nação inteira. O trabalho se torna ainda mais difícil quando é levado em conta que nem sempre se ganha e eles nem sempre se contentam com classificações como segundo, terceiro e quarto lugar.


"Os atletas brasileiros sabem, até demais, perder uma competição ou medalha e isso se tornou um vício. O que mais temo, cada vez que chega uma Olimpíada, é o medo do sucesso que se transforma em uma verdadeira ‘usina de medalhas de prata’. Este medo tem feito mais vítimas do que se possa imaginar", comenta o especialista.

"Acho que nesta escola do fracasso, muitos atletas e equipes já conhecem bem a cartilha. Está na hora deles e do povo valorizarem sua auto-estima e aprenderem que o sucesso é de seu merecimento desde que se reconheça o esforço e talento dos bravos cidadãos", acrescenta Cozac.

Comente

Últimas