A Psicologia e seus mitos

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
A Psicologia e seus mitos

Nos dias de hoje uma grande parte das pessoas está familiarizada a termos técnicos que são abordados em estudos científicos que envolvem o ser humano. Falar de psicologia, psicoterapia, psiquiatria, psicanálise é fácil e até comum, mas será que estes termos estão sendo empregados da maneira correta? Será que se conhece o suficiente para que não haja uma grande confusão?

Pois bem, pensando nisto resolvi escrever um pouquinho sobre estes termos que em seu prefixo têm em comum a sílaba "psi". Psi é a vigésima terceira letra do alfabeto grego. Tem como símbolo um tridente, que também é o símbolo da Psicologia. Psic (o) é um termo usado para designar alma, espírito, princípio da vida.

Se fosse uma análise morfológica, pura e simples, a Psicologia seria o estudo da alma, do espírito. Como ciência, a Psicologia estuda o comportamento humano que sofre influência direta das emoções (alma, espírito) e da razão (mente).

O psicólogo tem como função maior o auxílio na busca do equilíbrio entre a razão e a emoção para que as atitudes sejam adequadas e que isto reflita no bem-estar, na serenidade e paz.

Para que haja esta busca, o psicólogo se utiliza da psicoterapia, que é a técnica de tratamento básica onde as palavras, o corpo e os sons são instrumentos de apoio. A psicoterapia pode utilizar muitas técnicas que envolvam o tratamento e a conseqüente melhora da pessoa. Desde as psicoterapias de apoio, em que se utilizam técnicas sugestivas, persuasivas, relaxantes, até as mais profundas onde as técnicas são catárticas (liberação das emoções) como a psicanálise e o psicodrama.

A psicanálise é um método terapêutico criado por Sigmund Freud (médico neurologista) que consiste fundamentalmente na interpretação dos conteúdos inconscientes das palavras, ações e produções imaginárias. Freud foi o grande precursor da Psicologia. Como médico descobriu que poderia tratar das pessoas não apenas com medicamentos, mas também com palavras. Teve a sensibilidade de saber ouvir e prestar muita atenção em no paciente de maneira mais completa. Nada lhe escapava. Anotava tudo.

Começou então a fazer as relações das dores da alma, com as dores da mente e do corpo. Surgia então a Psiquiatria que é o ramo da medicina que se ocupa do diagnóstico, da terapia medicamentosa e da psicoterapia como tratamento para aqueles que apresentam transtornos mentais associados a transtornos emocionais que mudam um comportamento.

Sei que pode parecer difícil e confuso, mas na verdade não é. É preciso ter muita calma e paciência para entender todas as ciências que tentam desvendar os mistérios humanos. A Psicologia, como a Psiquiatria, são apenas mais algumas. O ser humano continuará a ser um grande desafio.

Muitas ciências aparecerão. Muitos psic (o) ainda farão parte do vocabulário. Enquanto isto não acontece é preciso entender o que acontece agora.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas