Alimentação e Degustação

Alimentação e Degustação

Existe uma grande diferença entre alimentar-se pela necessidade do organismo e degustar, sentindo os prazeres de cada sabor dos alimentos. Alguns restaurantes oferecem aos clientes as melhores iguarias dos chefs, ampliando-lhes o paladar através dos sentidos do olfato e da visão. Cada ingrediente especialmente selecionado e numa ordem tal que instiga reação com resposta sensorial agradável do gourmet atento.

Segundo a chef Ana Soares: "na degustação, as emoções estão em cena. Ao se surpreender com um sabor ácido, depois com um doce, depois com um amargo, a pessoa vai brincando de sentir. Trata-se de uma oportunidade única de agitar os sentidos: faze-los pipocar ao mais inesperado alimento crocante, quem sabe, flutuar quando o paladar encontra um doce e bem saboroso".

Além da diversificação de paladares, existe ainda a curiosidade pelo próximo prato, ampliando-se assim o seu prazer e remetendo-o a lembranças gustativas do passado, quando algum sabor faz com que se lembre de algo parecido. A degustação é um exemplo clássico da estimulação do sistema límbico, que abriga as emoções e neste caso específico o prazer.

No momento de uma degustação a pessoa é comandada pela emoção do prazer e seu córtex cerebral que é responsável pela razão e pela inteligência não é ativado. Os impulsos nervosos pegam um atalho para satisfazer o hipotálamo (área responsável pela fome, sede etc).

Nessa comparação, gostaria que todas as pessoas, obesas ou não, fizessem da sua alimentação uma "degustação" dos alimentos do dia-a-dia. Esses alimentos são simples, mas merecem também ser degustados. Uma boa salada de alface, bem temperada, um arroz com aquele aroma de tempero inigualável, uma carne ou frango ou peixe bem temperado, com consistência ideal, um refogado de brócolis, tudo isso com um visual agradável tem que ser apreciado com todos os sentidos.

Quem aprender a sentir prazer nos alimentos simples conseguirá utilizar um cardápio emagrecedor sem estresse. Sem ficar reclamando das saladas, refogados ou do frango grelhado. E mais importante ainda: uma vez magro, manter-se através de cardápios simples, adequados e saborosos na sua mente, pois estará usando os sentidos a seu favor e ainda a inteligência com escolhas acertadas.

O prazer é para ser sentido com inteligência, aos poucos e sempre. Isso deve ser o dia-a-dia. Mas nada impede que algumas vezes se delicie com uma degustação a rigor.

Aguardo perguntas e sugestões.

Comente

Últimas