Ansiedade?! De Novo...

Ansiedade De Novo

É interessante como a ANSIEDADE é apontada como a grande destruidora de projeto e sonhos mas, você já parou para pensar que a ansiedade é um sentimento normal e saudável?

Ao longo da história humana, passou-se muitos anos falando sobre a razão. O homem produtivo é aquele que consegue decidir sem se deixar envolver por suas emoções ou paixões.

Desde a época de Platão, a ansiedade é vista como o grande fator de interferência para os seres "pensantes", e que teria de ser removido pela razão mostrando assim, capacidade intelectual decisória e símbolo de grande virtude.

Acreditou-se que removendo a ansiedade, o homem estaria liberto para o pensamento produtivo e, portanto, sujeito aos grandes êxitos e sucessos.

Acontece que isto gerou um verdadeiro pavor de sentir; qualquer sensação de desconforto que se suponha ser ansiedade ou angústia desencadeia um pânico insuportável.

O homem desenvolveu um medo exagerado quanto aos sentimentos não muito bem decifráveis e a partir da não racionalização, entendimento lógico sobre eles, simplesmente os nega; foge destas sensações incômodas não se permitindo sentí-las, decifrá-las e elaborá-las. É a partir deste comportamento de fuga quanto ao sentir que a ansiedade se instala.

Mas o que é ansiedade?

A ansiedade é o medo sem objeto, é um estado de ameaça que não é claro e que pode gerar insegurança quanto à capacidade de lidar com o desconhecido.

Entretanto, é justamente este sentimento que nos impulsiona a agir sobre um mundo que desconhecemos e que não é tão evidente e claro; um mundo que não está sob nosso domínio, mas temos a certeza que teremos de seguir sem saber ao certo o que nos espera e aonde chegaremos.

É sob esta ótica que a ansiedade é saudável e natural, pois por excelência somos "ansiosos" à espera de um crescimento progressivo (infância, juventude e maturidade) até a morte.

Nos enganamos quando tentamos enganar a ansiedade. Nos tornamos práticos, objetivos, capazes de tomarmos decisões rápidas, elaboradas logicamente, impulsivos na esperança de nos livrarmos daquela agonia e da sensação de desconforto que a ansiedade pode gerar.

A ansiedade nos faz sentir.

E é isto que não devemos temer.

Sentir não é sinônimo de fragilidade, incompetência ou inabilidade.

Sentir implica em se conhecer, reconhecer sensações, lidar com o emocional sem se enganar.

O sentir leva-nos a pensar e, por conseguinte, leva-nos a agir.

É preciso antes de mais nada que nos permitamos a sentir, que possamos permanecer com o desconforto de um sentimento.

Somente este exercício contínuo nos conduzirá a um contato estreito com nosso corpo e suas manifestações, aprendendo a regular os excessos, sem entretanto negar nossos sentimentos.

No dia-a-dia e na vontade de "domar" nossa ansiedade somos capazes de minimizá-la.

Às vezes, é necessário recorrer a psicoterapias, medicamentos quando a ansiedade se apresenta incontrolável e altamente prejudicial. Porém, de uma forma geral, somos capazes de enfrentá-la sem negá-la e fazendo com que seja nossa aliada para enfrentarmos este mundo. Às vezes, maluco mas, convenhamos, maravilhoso!

Comente

Últimas