Ansiedade e os transtornos alimentares - Parte II

Ansiedade e os transtornos alimentares  Parte II

No artigo anterior descrevi sobre os Transtornos Alimentares como a Anorexia Nervosa e a Bulimia Segue abaixo o complemento com a Síndrome de Gourmet, Transtorno Alimentar Noturno e Transtorno do Comer Compulsivo.

A Síndrome de Gourmet é quando as pessoas vivem obsessivamente preocupadas com a preparação, compra e ingestão de pratos especiais, diferentes e/ou exóticos. Buscam aprovação dos demais se dedicando ao preparo de pratos especiais. Quando grave, pode contribuir para o desenvolvimento da obesidade.  

O Transtorno Alimentar Noturno ou também conhecido como Síndrome do Comer Noturno é Transtorno Alimentar. É caracterizado pela falta de apetite pela manhã, grande ingestão de comida durante a noite e insônia, ou seja, é uma combinação de um transtorno alimentar, uma desordem do sono e do humor. É um dos transtornos que podem levar a obesidade, apesar da maioria das pessoas fazerem algum tipo de regime durante o dia facilmente, pois não sentem tanta fome durante o dia e não conseguem parar de comer à noite. O jantar não é suficiente e continuam comendo, chegando a acordar durante a noite só para comer.

O assalto noturno na cozinha e à geladeira reflete a preocupação ansiosa em relação à comida. Em alguns casos a pessoa continua a dormir e come automaticamente, numa espécie de sonambulismo. Muitas pessoas não se lembram de nada ao despertar e negam quando lhe contam o que fizeram.

Os Comedores Compulsivos fazem parte do Transtorno do Comer Compulsivo. Acontece quando há episódios de voracidade. A ansiedade patológica pode se manifestar através desse transtorno. Se caracteriza por freqüentes crises, nas quais as pessoas sentem que não podem parar de comer. Comem depressa e às escondidas, ou comem (beliscam) durante todo o dia.

Esta compulsão alimentar incontrolável leva os pacientes a ingerir quantidades exageradas de alimentos em um curto período de tempo. Apesar de se sentirem culpados e envergonhados por sua falta de controle, não apresentam atitudes compensatórias e compulsivas (vômito, laxantes etc.) típicas das pessoas com Bulimia. E também não há a preocupação exagerada com o peso e a forma do corpo como acontece na Bulimia e Anorexia.

Para que seja diagnosticado o transtorno, os ataques de comer devem ocorrer com uma freqüência mínima de duas vezes por semana e seguir os critérios abaixo: Episódios repetidos de ataques de comer. Durante os episódios, três indicadores abaixo devem estar presentes:

  • comer muito mais rápido do que o normal;
  • comer até se sentir desconfortavelmente empanturrado;
  • comer grandes quantidades de comida, mesmo sem fome;
  • comer sozinho, com vergonha da quantidade;
  • sentir-se culpado e/ou deprimido depois do episódio.
  • Em todo transtorno é fundamental a psicoterapia para entender o processo que pode ser desencadeado por uma série de fatores psicológicos.

    Referência Bibliográfica

    Da Emoção à Lesão

    Geraldo José Ballone

    Ed. Manole

    Comente

    Últimas