Ansiedade noturna

5 dicas para você não sair da dieta!

Ansiedade noturna

A correria do trabalho motiva quem está de dieta a escolher com cautela o que vai comer. Com prazos apertados, o jeito é recorrer às frutas, barras de cereais e saladinhas para fugir da tentação de forrar o estômago com fast food e guloseimas regadas à gordura trans.

Mas nossa dieta fica ameaçada mesmo quando o dia de trabalho chega ao fim e vamos para casa. No conforto do sofá damos uma boa relaxada e é nessa hora que sentimos uma vontade maior de ficar beliscando alimentos nada saudáveis.

"Do finalzinho da tarde até a hora de dormir normalmente estamos em casa. E enquanto nos envolvemos na correria de trabalho ou faculdade não temos muito tempo para pensar em guloseimas", explica Bruna Lopes Camargo, nutricionista da Escola Materna e da Clínica Lipocenter Santo André. "Além de estarmos em casa tem o cansaço do dia a dia. E muitas pessoas encontram certo ‘conforto’ ao comer."

Para evitar que a ansiedade e a vontade de quebrar a dieta sejam maiores do que a sua força de vontade, Bruna selecionou algumas dicas que ajudar você. Confira:

- Coma a cada três horas. Essa prática ajuda a controlar a ansiedade, não só no período noturno. "Devemos lembrar que, se não nos alimentamos corretamente durante o dia, à noite teremos muita fome e, consequentemente, iremos beliscar mais", alerta a nutricionista.

- Pratique uma atividade física neste horário. Assim você potencializa os resultados da dieta e evita ficar com um tempo ocioso em casa para beliscar.

- Não tenha guloseimas como chocolates, salgadinhos, biscoitos recheados entre outros em casa. Por mais que saibamos que não podemos comer, só pelo fato de ter esses alimentos ao nosso alcance a vontade aumenta.

- Tenha sempre à mão itens saudáveis como cenouras baby ou cortadas em palitinhos, tomate cereja, frutas secas entre outros para beliscar. E, mesmo assim, consuma-os com moderação!

- Mantenha por perto uma garrafinha de água. Isso ajuda a consumir a quantidade necessária de água no dia e ainda tapear a vontade de beliscar.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Últimas