Baby Blues: como lidar e reverter essa situação?

Também chamada de melancolia pós-parto, atinge cerca de 60% a 80% das "recém-mães" e merece atenção especial
Baby Blues: como lidar e reverter essa situação?

Foto: iStock / Huffington Post

Ser mãe é maravilhoso! Acompanhar a formação e o desenvolvimento de um ser dentro nós é mágico. As consultas médicas, os ultrassons, providenciar o quarto, comprar o enxoval do bebê é prazeroso e fascinante. Ao longo dos nove meses nos preparamos e esperamos pelo grande dia “o nascimento do filho”.

Porém, com a chegada do bebê, algumas recém-mamães desenvolvem sentimentos negativos e sensação de tristeza, começam a não entender o que está acontecendo, se sentem culpadas por não estarem tão felizes quanto deveriam e surgem perguntas como: “O que está acontecendo comigo? O que houve com toda a mágica de um momento tão esperado, com o sonho realizado?

Para ajudar as mamães que passam por isso, falaremos sobre este fenômeno mais comum do que pensamos o denominado Baby Blues.

O Baby Blues ou Blues puerperal é o estado de melancolia, tristeza e fortes alterações de humor; uma forma menos grave de depressão pós parto e atinge cerca de 60% a 80% das recém-mamães. Essa melancolia pós-parto está geralmente ligada a mudanças hormonais que acontecem três ou quatro dias depois do parto, quando os hormônios da gestação desaparecem e a produção de leite se inicia. É importante ressaltar que dependendo da forma do nascimento do bebê (algumas ocorrências no parto) podem ser notados mais cedo.

Quando a mulher tem um filho há uma mescla de sentimentos entre alegria e exaustão. O desgaste físico e emocional do parto e as incertezas do que vem pela frente na volta para casa também colaboram para o Baby Blues. Os principais sintomas são: choro constante ou sem motivo aparente, irritabilidade, impaciência, mudança de apetite, ansiedade, fadiga, insônia, dificuldade de concentração e uma excessiva preocupação quanto ao papel de mãe achando que a maternidade nunca será prazerosa. 

Esses sintomas podem ocorrer por alguns minutos ou até algumas horas por dia, mas tendem a diminuir e desaparecer por volta de 14 dias. É importante lembrar que caso os sintomas durem mais do que 14 dias ou sejam preocupantes, como ideias suicidas ou incapacidade de cuidar de si mesma ou do bebê, o médico deve ser consultado, pois pode ser uma indicação de um quadro mais avançado, como a depressão pós-parto.

A melhor maneira de lidar com os “baby blues” é não ignorar todas as mudanças que estão acontecendo nesse momento com você (corpo, rotina). Falar com alguém que confie sobre as emoções, mudanças e desafios nos quais está passando (ou um psicólogo), pedir ajuda para realizar as tarefas do bebê e da casa para que não se sinta sobrecarregada ajuda bastante; e não se cobre perfeição nesse momento, pois é tudo muito novo e você precisará de um período para adaptar-se a nova rotina.

A colaboração dos papais é de suma importância nesse momento em que a recém-mamãe se sente sobrecarregada, exausta e insegura. A realização de atividades simples como atender o telefone, fazer comida, deixar que ela descanse bastante e um pouco de mimo serão muito bem vindas. Apoiá-la e dizer a ela que tudo que está sentindo é absolutamente normal, deixá-la chorar a vontade, movimentar a família para ajudar é fundamental para recuperação.

Por Márcia Rodrigues - Psicóloga (www.psicologoeterapia.com.br)


Comente

Aproveite o Dia dos Namorados para cozinhar receita deliciosas com o seu/sua crush!

Receitas para o dia dos namorados

Últimas

Copyright © 2021 e-Mídia