Balada para gordinhos

Balada para gordinhos

BBW/Divulgação

Os Estados Unidos são conhecidos mundialmente pela população de peso. E quem pensa que os gordinhos deixam de fazer as coisas por causa da forma, está bem enganado. A que tudo indica, o país assumiu a massa de pessoas acima do peso e percebeu que ali mora um nicho de mercado bem especial.

Na Califórnia, costa oeste americana, "boates exclusivas" para quem está acima do peso já fazem sucesso. "FullFilled" e "Butterfly Lounge" são os endereços de centenas de gordinhos que adoram dançar. Também entram na lista o "Club Bounce", que inclusive produziu um documentário sobre os seus frequentadores.

Em entrevista ao site "Metromix", a promoter Marie Garbo diz que não há muita diferença em promover uma balada apenas para esse público. Mas ela sempre checa as cadeiras, os banheiros e as banquetas do bar.

"Tamanho, para nós, é importante", afirma. "Todo o conceito de entrar num clube e não ser julgado pelo seu tamanho ainda é algo novo", afirma. Mas nas festas que organiza, garante que a pessoa será desejada e aceita por causa do seu tamanho. Ela trabalha para o "Club Bounce", que não se diz exclusivo para gordinhos, mas sim que todo mundo é bem vindo, não importando a aparência. "Procuramos oferecer uma vibe positiva e de aceitação", diz.

"As mulheres que vêm dançar aqui sabem que os homens estão interessados em alguém com aquele corpo, então tudo fica mais fácil", afirma Christy Lee, promoter do "FullFilled". A balada, que existe desde 2004, recebe todo tipo de pessoa, independente da forma física. "Grande, pequeno, baixo, alto, de todas as raças. Mas amamos nossas sexys grandes mulheres e homens, com mais de 21", completa. A casa fica cheia com pelo menos 150 pessoas a cada festa.

"Só porque nós somos gordos não quer dizer que não gostamos de dançar e nos divertir", diz Peggy Howell, da Associação Nacional para Aceitação dos Gordos. Outra opção, que não é tão nova assim, é um site voltado às "mulheres grandes e bonitas" (www.bbwnetwork.com). A comunidade promove desde 2005 um baile conhecido como "Vegas Bash", repleto de mulheres acima do peso, com a autoestima recheada!

Também em entrevista ao "Metromix", Kat Fay, analista da "Mintel International", empresa de Chicago que faz pesquisas pelo mundo, disse que os obesos compõem um grupo que até agora sofria com a falta de ambientes de qualidade. "Eles são incrivelmente discriminados em termos de escolha". Ela avalia que há muito dinheiro nesse mercado. Hoje, pelo menos 66% dos norte-americanos em idade adulta estão acima do peso ou são obesos.

"Até pouco tempo, era ofensivo chamar uma pessoa de gorda, mas acho que muita gente agora está aceitando o termo de maneira positiva", afirma Lisa Marie. "Não é que eu defenda que as pessoas agora têm que ganhar peso. Minha mensagem é viva sua vida, não importa o seu tamanho", finaliza.

Comente

Últimas