Bola na trave, bola no gol. E vamos lá novamente...

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Bola na trave bola no gol E vamos lá novamente

Foto:Nilton Santos/Divulgação Ambev Amistoso com Portugal

Se formos pensar, a Copa do Mundo é para o brasileiro um dos maiores testes de ansiedade de que se têm notícias. Somos o país do futebol. Somos incansáveis no otimismo, na expectativa de que desta vez vai dar.

Não importa os outros títulos e conquistas. A necessidade de vencer nesta modalidade é suprema. Toda uma nação se coloca de prontidão para um dos maiores eventos esportivos. O País se prepara para mais uma disputa e sempre com a vitória na cabeça, e principalmente, no coração.

A competição mexe com toda a nação, desde os mais reservados aos mais fanáticos, que, por sua vez, saem pelas ruas uniformizados portando bandeirinhas. Não importa nem mesmo o fato dos jogos serem do outro lado do mundo.

Como tudo seria diferente na vida de cada um se tivéssemos estes pensamentos no dia-a-dia, esta motivação, esta crença de que tudo vai dar certo. Tudo nesta vida é um grande jogo. Se preparar, competir, querer vencer, não admitir derrota. Ter estratégia, determinação, disciplina, enfrentar as adversidades são fatores inerentes a uma disputa.

Evidente que isto gera uma certa inquietação interna, provocando as reações mais diversas, mas todos queremos a vitória. Ninguém entra em alguma coisa para não dar certo... Todos almejamos os louros, as conquistas...

Quando nos deparamos com este momento de Copa do Mundo, depositamos toda nossa esperança de sucesso misturado com orgulho, satisfação e, acima de tudo, confiança. Acreditamos sermos os melhores, imbatíveis. O que nos coloca em um patamar de respeito pelo adversário.

Temos história e tradição. A derrota não faz parte. Com este espírito e crença nos tornamos admirados e, ao mesmo tempo, temidos. Nos tornamos grandes, e fortes, exigindo sempre, de cada adversário, o melhor dele para que também possamos dar o nosso melhor.

Como este momento é especial, gostaria que cada um refletisse sobre sua vida, sua história, seu momento atual. Sejam lá quais forem os projetos, que sejam verdadeiros. Estejam preparados para as adversidades, mas nunca se esquecendo do objetivo.

Acreditem sempre serem capazes.

As inquietações, inseguranças e receios, são o tempero necessário para a autocrítica e, se for o caso, mudança de estratégia, mas nunca da desistência. Ir em busca da vitória, de resultados positivos é o que nos impulsiona a viver. Sempre. Por mais difícil que as coisas se apresentem não deixem ser maiores que a vontade. Nossas realizações sempre nos conduzirão ao sabor do sucesso. E isto vicia. Faz bem ser vencedor.

Como disse Martina Navratilova "Quem disse que perder ou ganhar não importa, foi porque perdeu".

Boa Copa a todos, com muita ansiedade positiva e não muita pipoca na boca.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas