Campeão dos e-mails

Campeão dos emails

A experiência que tenho vivido aqui no Cyberdiet como uma auxiliadora virtual, muito me tem gratificado.

Tenho recebido vários e-mails e a grande maioria traz perguntas relacionadas a ansiedade e como ela atrapalha qualquer projeto ligado a disciplina alimentar.

A queixa é comum e mais de 80% dos e-mails estão relacionados a esta temida sensação.

Geralmente a pergunta começa assim: "Sou muito ansiosa(o) e quando estou com algum problema não consigo me controlar e começo a comer...".

Com a absoluta convicção a ansiedade é a campeã dos insucessos de qualquer programa alimentar.

Se não, pelo menos a mais severamente apontada como causadora de grandes frustrações... Como driblá-la? Entendê-la? Respeitá-la? Em primeiro lugar é necessário que se conheça um pouco mais sobre a ansiedade.

Segundo o Dicionário Larrousse Cultural ansiedade é definida como:

1. Angústia, aflição, grande inquietude -

2. Desejo veemente, impaciência, sofreguidão, avidez. Dependendo do grau a ansiedade é diagnosticada como doença.

Entretanto para ser diagnosticada como tal, é necessário que se colete dados mais específicos e contundentes.

Ocorre que se dizer "ansioso" caiu na graça popular e a maioria emprega esta palavra para sintetizar e simplificar algo que perturbe o "bom" andamento das coisas.

"Ser" ou "estar" ansioso são comportamentos bem distintos e merecem cada qual tratamentos específicos e diferenciados.

Estar preocupado é uma coisa; sofrer em decorrência da preocupação é outra.

Ficar aflito, agitado, angustiado, são situações que geram um alto grau de expectativa e portanto o organismo começa a receber, através da corrente sangüínea, uma descarga de determinadas substâncias que desencadearão algumas alterações inclusive podendo atingir o centro da fome.

Isto quer dizer o seguinte: é possível que uma situação de ansiedade estimule de uma maneira desordenada a fome, mas esta situação de conflito não pode ser a única responsável pelo insucesso de uma dieta.

Tudo bem que tenha uma certa parcela de culpa mas ser inteiramente responsabilizada é extremamente cômodo e consolador.

É fácil encontrarmos bodes expiatórios para nossa falta de respostas coerentes, entretanto se não nos avaliarmos friamente e profundamente dificilmente conseguiremos sucesso em qualquer projeto de vida pois problemas teremos sempre, soluções teremos que buscar, mas depende da nossa consciência, talento, competência e necessidade o caminho que escolheremos para enfrentarmos estas tão mal faladas ansiedades...

Pensem nestas colocações e fiquem a vontade para a troca de e-mails.

Estarei aguardando.

Um abraço e excelente semana a todos.

Comente

Assuntos relacionados: ansiedade pisicologia descontrole

Últimas