Ciúme doentio x ciúme saudável

Até que ponto o ciúme é benéfico na relação?

Ciúme doentio x ciúme saudável

Assim como o amor, o ciúme é um sentimento que está presente em qualquer relacionamento. Em algumas pessoas ele se manifesta com maior intensidade e pode abalar a união do casal. Em outras, porém, ele aparece de forma isolada e é aceitável pela amada ou amado. Mas e você, sabe diferenciar o ciúme saudável do doentio?

O ciúme saudável é a forma mais comum do sentimento e é completamente natural. "Ele está presente na relação sem atrapalhar a convivência de nenhum dos envolvidos. Quem tem ciúmes de maneira saudável é porque ama e quer cuidar do companheiro", afirma o psicólogo e escritor Alexandre Bez.

Se esse tipo de ciúmes não existir na relação você deve se preocupar! "Em todo relacionamento você tem que ter um medo de perder. Se não tem é porque ainda não está engajado na relação ou não gosta, realmente, da pessoa", descreve o psicólogo, relatando ainda que o ciúme envolve três pessoas: o casal e um terceiro que tenta ‘ocupar ou tomar o cargo’ de alguém na história.

O ciúme ‘normal’ é um sinal de alerta mediante algo que demonstra perigo ao parceiro ou parceira. Já o ciúme doentio é extremamente prejudicial para a relação, pois ocorre uma perda de liberdade da pessoa que sofre com as crises do sentimento. "Ela precisa ficar programando o dia a dia conforme o que o outro acha conveniente. A sua integridade é remetida a um ‘sequestro psicológico’ porque é necessário dar satisfação do que está fazendo a todo o momento", diz Bez.

O especialista avalia que não existe maneira de lidar com ciumentos doentios, pois se eles tiverem uma personalidade psicótica e uma estrutura agressiva, poderá colocar em risco a integridade física dos parceiros. "Essas características são combinações fatais! Preste atenção nas palavras e, especialmente, nas atitudes do companheiro. Se notar qualquer tipo de agressividade afaste-se dele o quanto antes", alerta.

Essa agressividade pode iniciar de maneira verbal, quando o parceiro impõe seus desejos e ideias sem aceitar um ‘não’ como resposta. Porém, no decorrer da relação, pode desencadear uma agressividade que coloca em risco a integridade física da outra parte. "Ninguém é dono de ninguém, mas o respeito, o carinho e a boa convivência devem estar presentes na relação. Ceder às pressões dentro do relacionamento, não é uma boa maneira de lidar com o ciúme", avalia Alexandre.

Esse sentimento é saudável até o momento em que não prejudica o direito de ir e vir do outro. "Nunca mude para agradar alguém. Não altere seu estilo, seus modos ou cor de cabelo. Quando você se deixa dominar por causa de ideias do outro, estará demonstrando uma situação de dependência e até uma eventual submissão", orienta o psicólogo. "Analise a pessoa que você está namorando antes que entre em situações mais complicadas", sugere.

E se você costuma provocar o ciuminho do seu parceiro, cuidado! O psicólogo afirma que você pode estar desencadeando um ciumento possessivo. Outra dica é não dar senhas pessoais de e-mails, redes sociais, entre outros. "Questões particulares devem ser guardadas. E se um ex-namorado telefonar, não é necessário confidenciar ao atual para não causar uma situação desconfortável. Tenha consciência das suas atitudes", aconselha Alexandre Bez.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Últimas