Comer fora de casa

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Comer fora de casa

Em geral, as pessoas sabem como preparar uma alimentação saudável, mas nem sempre conseguem controlar o que comem. O costume da boa alimentação deve ser aprendido desde cedo e não existe mágica ou receita infalível para evitar os maus hábitos. Somente com um esforço consciente é possível adotar uma alimentação equilibrada.

A alimentação saudável tem início na escolha dos alimentos colocados no carrinho do supermercado. As mulheres ainda são a maioria nas compras domésticas, mas está aumentando o número de homens que cuidam disso. Para muitas mulheres, o tempo despendido no supermercado é cada vez menor, por causa de seus muitos afazeres. Assim, nem sempre é feita uma escolha cuidadosa, respeitando critérios saudáveis de alimentação.

Aquilo que se leva para casa constitui um importante fator preventivo na reeducação alimentar, pois os alimentos corretos podem ajudar a manter a saúde, a longevidade, a energia e o bem estar.

As pessoas que se alimentam fora de casa e as que fazem as refeições no lar têm um ponto em comum: todas reclamam da dificuldade para se manter fiel à boa alimentação.

Para as pessoas que almoçam em restaurantes é muito importante seguir o mais fielmente possível o seu programa alimentar. Isso é possível com uma boa dose de equilíbrio e determinação, optando pelos alimentos menos calóricos. O impulso de exagerar na quantidade, ou não considerar a qualidade dos alimentos, deve ser controlado.

Atualmente, os restaurantes oferecem uma grande variedade de alimentos. Quem passa o dia fora de casa deve levar alimentos leves para os lanches entre as refeições. A organização e o planejamento são importantes para manter essa rotina.

Normalmente, as pessoas fazem a última refeição em casa. Como o tempo disponível é pequeno, muitos fazem um lanche rápido nesse horário. Isso pode constituir uma forma de refeição pouco adequada, quase sempre muito calórica e pouco nutritiva.

Entre esse lanche e a hora de dormir é comum a pessoa abrir a geladeira várias vezes para beliscar. Isso pode ser evitado se o lanche for saudável, com grelhados, saladas e frutas.

Para as pessoas que preparam o próprio alimento, as compras devem ser a principal preocupação. É como escolher uma roupa na loja: o que for comprado é o que será usado. Boas escolhas podem favorecer o preparo de pratos saudáveis e saborosos.

Receitas pouco calóricas são encontradas facilmente em livros, na TV e na Internet. Selecionar algumas e prepará-las facilita a vida de quem cozinha. É importante ter uma noção de nutrição e ler os rótulos, para saber o que está sendo levado para casa.

No dia a dia, bom mesmo são verduras frescas, grãos, cereais, de preferência integrais; carnes variadas e sem muita gordura - carne vermelha, frango e peixe; na sobremesa, frutas.

O privilégio de poder preparar as próprias refeições deve ser uma oportunidade para adotar uma alimentação correta e nem por isso menos prazerosa. Comidas simples, quando bem temperadas e bem combinadas, satisfazem o paladar e trazem grandes benefícios ao corpo.

A educação alimentar é fundamental. É necessário direcionar os filhos para hábitos saudáveis de alimentação. Cabe aos pais a responsabilidade para que isso aconteça.    

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas