Como é o momento da sua refeição?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Como é o momento da sua refeição

A hora do café da manhã, almoço ou jantar ainda continua sendo um momento sagrado para todos estarem juntos e comerem em paz. Mas será que é sempre assim? Sabemos que infelizmente não é, mas deveria!

No café da manhã, alguns aproveitam esse momento para falar sobre as contas que devem ser pagas; outros cobram do filho a lição que não foi feita, o horário que chegou no dia anterior; a esposa depois de uma noite muito mal dormida e de tanto guardar o que sente, resolve colocar tudo para fora e começa a falar; o marido sem prestar atenção em nada do que fala, pensando nos negócios, se despede.

A esposa se sentindo desprezada ou abandonada dá um sonoro grito com o intuito de fazê-lo ficar e ouvi-la e aí sim, a confusão começa. Um quer gritar mais que o outro e o que deveria ser motivo para começar bem o dia para todos, se torna uma verdadeira guerra que pode comprometer tudo que for feito ou que estava programado. O que se pretendia fazer, de raiva, se deixa pra lá.

Por exemplo, quem está fazendo um programa para eliminar alguns quilinhos, sente tanta raiva que, consciente ou inconscientemente, resolve se punir e boicota seu programa comendo o dia inteiro. À noite, quando o marido chega em casa e vão jantar ela está com tanta raiva dele, pois foi ele quem brigou e a fez se sentir péssima o dia todo, a ponto de largar seus objetivos e comer mais do que devia, queria e podia. Para desabafar, claro, mais brigas!

Outros ainda aproveitam o momento do jantar para conversarem, contarem como foi o dia, saber do dia do outro, saber como o filho foi na escola. Imagine se o filho acabou de receber uma nota baixa e tem de contar aos pais. Sente que não dá mais para esperar e fala sua nota. Pronto! A briga começa.

Um dá um palpite, outro dá um castigo, e assim começa a discussão. Até que o pai com o intuito de fazer com que todos fiquem quietos, dá um soco na mesa que assusta todo mundo e ainda acaba por derrubar a jarra de suco em cima da esposa. A confusão está armada.

Ela começa a reclamar dessa atitude, onde não precisava tomar esse "banho"; o filho sai chorando, mas é forçado a voltar e entre lágrimas, faz o maior esforço para comer o que ainda restou no prato; o cachorro, de medo, se esconde embaixo da mesa e todos "engolem" a comida, junto com toda raiva e toxinas que estão sendo produzidas por seu cérebro nesse momento em função da discussão.

Como a hora da refeição em muitas famílias é o único momento que se encontram, é comum aproveitarem para colocar os assuntos em dia e quase sempre, é o momento que mais acontecem as brigas. Esse é o amor que você tem por você mesma e aqueles que convive? Se isso é uma constante em sua casa, repense e pare tudo isso!

Se você mudando seus hábitos alimentares, inclua também rever o momento da refeição, pois pode interferir muito no resultado que deseja. Se ao se alimentar, você chora, fica triste, é magoado, mal tratado, ouve palavrões, enfim, se algo ou alguém faz você se sentir péssimo, é claro que essa alimentação, ainda que feita com todo amor, poderá lhe fazer muito mal, é como se estivesse comendo junto com a comida todas as toxinas, pois estão sendo liberadas ao mesmo tempo e o resultado ficará todo comprometido.

Com certeza a hora menos propícia para discutir qualquer assunto é o horário das refeições. Nosso estômago produz suco gástrico nas situações de tensão, como essa secreção é ácida e destrutiva, funciona como um corrosivo. Ao participar de brigas, ofensas e discussões, principalmente durante as refeições, quando o cérebro está totalmente voltado para processar o alimento, estará sobrecarregando seu corpo com sentimentos negativos que se transformarão em toxinas como se fosse veneno.

Se você está em conflito com alguém e está se sentindo magoada, com raiva, injustiçada, desprezada, não será durante a refeição que isso deve ser discutido ou resolvido. Se quiser conversar, saber do outro durante as refeições, procure não julgar, nem condenar, apenas ouça e fale palavras de amor.

Mas se ainda assim tiver muito que falar ou desabafar faça isso em outro momento, respeitando o momento em que se alimenta. Se quiser ouvir algo, evite programas que só falam em tragédias, prefira ouvir uma música suave. O momento da refeição deve ser considerado sagrado, motivo de agradecimento, harmonia e paz. Alimente-se apenas daquilo que te faça bem, te faça feliz. Não só em relação aos alimentos, mas alimente-se muito bem, principalmente com palavras amorosas.

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: psicologia estresse refeição

Últimas