Ditadura da dieta X Memórias olfativas

Veja como a memória olfativa pode influenciar sua dieta

Memórias olfativas

Você já deve ter passado em frente a um restaurante, lanchonete ou padaria e sentiu aquele cheirinho bom de alguma guloseima ou refeição que lhe fez lembrar dos pratos preparados pela vovó, não é verdade? Isso é memória olfativa.

"A memória olfativa da alimentação são cheiros familiares reconhecidos pelas pessoas e associados a pratos e preparações. O olfato tem um centro cerebral que armazena os odores mais característicos", explica Sylvana Braga, nutróloga, reumatóloga, fisiatra e especialista em prática ortomolecular, também autora do livro "Dieta Ortomolecular - dieta natural para emagrecimento saudável e evitar definitivamente o efeito sanfona".

A especialista explica que estas memórias são capazes de atrapalhar uma boa dieta, pois alguns alimentos que são saudáveis nem sempre têm um odor bom, impedindo, assim, a sua ingestão. Entretanto, de acordo com Sylvana, é possível comer de maneira saudável e feliz: "Fazer dieta não é comer seco, sem sabor ou variação. Pode-se comer com alegria por meio da variedade de pratos pouco calóricos e de boa digestibilidade", relata.

Mas se você não abre mão de uma guloseima não precisa se desesperar! A nutróloga explica que é possível consumir alguns alimentos calóricos, desde que seja com moderação. "Estes alimentos pouco saudáveis podem ser consumidos em determinadas datas ou ocasiões, como em aniversários, comemorações ou festas típicas. O importante é degustar e não exagerar na quantidade", descreve ela.

Pequenos excessos também são permitidos. Chocolate amargo e até uma taça de vinho, por exemplo, são importantes para a manutenção e continuação desta dieta. "Existe um sistema de compensação: se você consumir alguns alimentos calóricos nos fins de semanas ou em festas, o dia a dia deverá ser sempre saudável", afirma a especialista.

Sylvana Braga selecionou algumas dicas para você resistir às tentações:

1- Evite ficar com fome;

2- Traga sempre lanchinhos na bolsa (queijinhos, maçã ou outra fruta);

3- Coma de três em três ou quatro em quatro horas, mesmo que não tenha fome;

4- Beba água o dia inteiro;

5- Sempre vá aos eventos levemente alimentado (iogurte, fruta etc);

6- Coma devagar;

7- Evite alguns lugares calóricos (padarias, churrascarias, docerias etc);

8- Se não resistir, divida um prato ou uma sobremesa com sua colega;

9- Programe sua mente antes de ir aos lugares (saiba o que vai comer e quanto);

10- Programe o que vai beber nos eventos;

11- Evite o couvert em restaurantes;

12- Se não resistir à mesa de sobremesa faça uma degustação pequena do doce.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente

Últimas