É Natal e estou querendo emagrecer... E agora?

É Natal e estou querendo emagrecer E agora

Festa, em nossa cultura ocidental, é sinônimo de comida. O que falar então da maior festa do calendário católico?

Quando falamos no Natal imediatamente nos vem família, reunião, presente, comida, comida e mais comida... A sensação é a de não ter comido absolutamente nada o ano inteiro. Peru, panetone, rabanada, nozes, amêndoas, tender, castanhas, frutas, tudo fica na nossa memória...

Tudo parece que fica mais gostoso, saboroso e com requinte e sofisticação que não encontramos em nosso dia a dia, mesmo que seja aquela maionese que estamos habituados quando almoçamos na casa da mãe, da sogra, da tia.

Há um toque de extremo carinho e conseguimos ver além do prato... Conseguimos sentir os perfumes além dos aromas...

O prenúncio é de um verdadeiro banquete, fartura e muita "água na boca"! Temos então a certeza de que é Natal.

Não comer nada e dominar todo e qualquer impulso ou se deixar levar pela tentação e depois ver o que acontece? Eis um grande e estimulante teste de auto-conhecimento.

Lembre-se: todo extremo induz ao erro; nem tão tudo e nem tão nada... Há de se encontrar o ponto do equilíbrio, a dose certa.

Sei que não é muito agradável pensar nisto em uma hora onde os sentidos do olfato, paladar, visão estão sendo ativamente estimulados, mas, se for necessário, o bom senso terá que se apresentar. Necessário e imprescindível! Desde que emagrecer tenha sido um dos pedidos feitos ao Papai Noel...

Se foi um dos pedidos, então é melhor dar uma ajuda para que se torne realidade. O Papai Noel não consegue fazer tudo sozinho, é preciso um pouco de colaboração...

Em primeiro lugar, todos os quitutes oferecidos na Ceia e no Dia de Natal são encontrados fora deste período e podem ser preparados a qualquer momento e em qualquer ocasião, portanto nada de precipitação.

Vivemos em um país abençoado por Deus, onde a variedade de frutas é imensa. Em qualquer estação do ano, temos à nossa disposição frutas da época sempre muito saborosas.

Quanto às outras iguarias, as que têm cara de Natal, tudo na medida exata da sua consciência, do seu propósito de vida.

Sei que esta época mexe muito com a emoção de todos. As emoções ficam à flor da pele e como já sabemos, o centro da fome é um sinalizador e, portanto será acionado.

Cuidado! Não deposite seus anseios, traumas, tristezas, alegrias, frustrações ou qualquer outro sentimento na torta de camarão preparada pela Tia Alzira...

Calma. Se for possível tenha a atitude simpática de colocar em seu prato apenas o que lhe trará sensações boas, sem pensar no depois e que possa lhe gerar culpa.

Alimente-se nestes dias de muita fraternidade, esperança, carinho, amor, compreensão e muita fé.

Alimente sua ALMA. O restante são pequenos detalhes...

Um lindo e delicioso Natal para todos com muita PAZ!

Comente

Assuntos relacionados: psicologia emagrecer natal festas

Últimas