É o medo das férias novamente?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
É o medo das férias novamente

O objetivo das férias é sossego e divertimento para aliviar as tensões do ano trabalhado. Mas, para você, o momento de fazer as malas é o começo de uma tortura?

Muitas pessoas estão tirando suas férias agora. Algumas para aproveitarem mais o tempo livre com os filhos que ainda estão em férias escolares, outras para se refazerem do ano que passou. Enfim, o objetivo agora é preparar as malas e viajar! Parece simples, não? Mas, para algumas pessoas esse momento pode se tornar um grande gerador de angústia, tristeza, preocupação.

Como? Imagine para quem está fazendo um programa de reeducação alimentar as inúmeras dúvidas que podem passar em sua cabeça. Se tudo gira em torno da aparência, as coisas podem se tornar ainda mais difíceis. A começar na hora de fazer as malas, pois não sabe que roupa levar, não tem coragem de experimentar para comprovar qual está servindo ou não. Afinal, desde que percebeu que o peso estava se alterando, não tem vestido mais nada a não ser roupas bem largas para não haver decepção.

Colocar biquíni, nem pensar! Ou melhor, começa a pensar que é melhor nem levar. Se for na praia ou piscina, veste um shorts. Ou, melhor ainda, nem vai. Dará uma desculpa qualquer, dizendo que está lendo, descansando. Não é assim? Mas, e se fizer aquele calor insuportável, como vestir camisetão e calça de moleton? E na hora que todos resolvem dar uma voltinha na cidade e vão direto comprar um sorvete? Como dizer: "não quero, obrigada!". E a mãe, avó ou tia que adoram fazer aquelas comidas irresistíveis para você? Como dizer não? Com tudo isso na cabeça como ficar tranqüila?

Algumas pessoas se esquecem que não somos feitos apenas de aparência e, se nossa cultura valoriza o externo, o resultado imediato, com certeza é porque com isso muitos lucros são gerados. Ter saúde, qualidade de vida é uma coisa bem diferente da obsessão pelo culto ao corpo.

Quem valoriza o externo, geralmente também supervaloriza a opinião dos outros que acaba tendo um valor muito maior que a sua própria, pois necessita de alguma forma de reconhecimento, aprovação, porque na verdade não aprova a si mesmo e, se não for aceito por algumas pessoas, sente isso de forma tão profunda, como se não fosse aceito para a vida. Diante de tudo isso, esquece dos valores internos e que também são essenciais para se viver.

Se você é pessoa que só se preocupa com o externo, com a opinião dos outros, realmente viajar pode ser uma grande fonte de angústia, ficando muito distante do objetivo original, que é descansar e repor as energias. O fato em si não está na viagem, nem na preparação da mala, nem nas roupas, mas sim nos conflitos internos que essa viagem está apenas fazendo aflorar. Por já existirem há muito tempo e a solução estar muito longe de adiar ou cancelar as férias, pode demonstrar que não dá mais para fugir do que está ocorrendo dentro de você e que é preciso entrar em contato com esses sentimentos.

Pode até ser que as férias fossem uma fuga inconsciente para não resolver nada, adiar algumas mudanças pensando que quando voltar poderá recomeçar a fazer algo por você. Só que em alguns casos pode ter o efeito contrário. Antes ou durante a viagem, com a simples possibilidade de mudança da rotina, pode vir à tona sentimentos reprimidos e que necessitam serem expressos e compreendidos. Enquanto fugir do que sente de nada adianta fazer infinitas atividades físicas, mudar todos os hábitos alimentares e esquecer seu emocional. Tudo é importante.

Não negue, nem faça que não está sentindo nada. Para obter o controle sob suas emoções é preciso aceitar o que está sentindo, assim ficará mais fácil identificar a origem e obter controle daquilo que não tem conseguido. Não adianta evitar viajar para não ter que usar um biquíni, ou não ver seus filhos se lambuzando com doces e sorvetes. Aproveite esses momentos de tranqüilidade para pensar sobre sua vida, fazer uma reflexão do que quer para você, o que deve manter ou não.

Para facilitar sua reflexão, imprima alguns artigos anteriores que estão no site e que possam fazer com que se lembre que deve manter a continuidade dos novos hábitos, ainda que viajando, e os leve com você para lê-los. Isso pode te ajudar em algum momento. Lembre-se de levar também papel e caneta para escrever sobre seus sentimentos e, assim, organizar sua mente e não sair do caminho que te levará aos seus objetivos.

Não esqueça nada disso, certo? E nada de não usar biquíni. Ao contrário. Se for possível, compre um biquíni ou maiô que te deixe bem bonita, uma saída de praia, um chinelo, um brinco, enfim, se dê um presente, isso sempre faz com que nos sintamos um pouco melhor. Não pelo valor do presente, mas por estar cuidando um pouco de você. E, é claro, também curta muito sua viagem. Descanse, relaxe, não se cobre tanto nem seja crítica consigo mesma. Tudo sem pressa, aproveitando ao máximo cada momento. Uma super viagem e, quando voltar, estaremos aqui com outros artigos para você!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: psicologia estresse férias preocupação

Últimas