Encontrando paz interior

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Encontrando paz interior

Sentir paz e tranqüilidade nos dias de hoje parece utopia. Até pouco tempo, acreditávamos que determinados acontecimentos na vida como separação, morte de uma pessoa querida, desemprego, ou seja, algo muito profundo fosse capaz de nos tirar do controle e prejudicar nossa saúde física e mental.

Mas sabemos que hoje não é bem assim, estamos tendo que aprender a conviver diariamente com a falta de tempo, as cobranças, e em conseqüência, com a ansiedade e o estresse. Se somarmos os sintomas de tudo isso, sabemos que podemos adoecer gravemente.

Mas como a falta de tempo é real ou intensificada pelo perfeccionismo, pela necessidade de agradar, pela dificuldade em falar ‘não’, pelas cobranças internas, tudo fica muito mais potencializado. O que fazer diante desse dilema? Só há duas formas de lidar com tudo isso: resolver os conflitos ou aprender a conviver com eles.

Lembrando que a maior causa de nossas dificuldades não são os problemas em si, mas nossa reação diante a eles. É preciso mudar alguns comportamentos arraigados muitas vezes por anos, o que não é fácil, mas perfeitamente possível. Para isso não fuja dos problemas, isso só fará com que adie a busca por sua solução. Identifique e enfrente tudo aquilo que está te incomodando.

Procure não deixar os conflitos, sejam eles no trabalho ou na relação afetiva, acumularem-se. O melhor ainda é o diálogo, sem deixar nada para depois, esperando que o tempo os resolva. Os maiores conflitos ainda são os causados pela dificuldade em controlar as emoções e surgem muito mais nas relações afetivas. Isso ocorre exatamente pelo fato das pessoas não enfrentarem as situações quando elas surgem.

Deixando para lá, a tendência é os conflitos se intensificarem e ficar cada vez mais difícil encontrar uma solução. Converse, fale, argumente. Não despreze o que sente, ao contrário, respeite acima de tudo cada um de seus sentimentos. Para isso, é preciso elevar seu auto-conhecimento, saber o que quer, o que sente. Você sabe? Pratique o diálogo interno e converse acima de tudo consigo mesma. Se tiver dificuldade para se conhecer procure um psicólogo que poderá te ajudar nessa caminhada.

Afaste-se de pessoas muito críticas, se não for possível, ao menos não lhes dê ouvidos ou não permita que passe a ser sua verdade. Caso seja você seu maior inimigo, o que é muito comum, sempre se criticando, exigindo-se cada vez mais, procure ser mais flexível e paciente consigo mesma. Pare de se criticar, faça uma auto-análise para saber quem durante sua vida agiu dessa mesma maneira com você, sempre te criticando, e liberte-se da necessidade de estar sempre se punindo, seja pelo que fez ou pelo que não fez. Passe a elogiar-se mais e reconhecer e valorizar mais suas conquistas.

Se você se considera perfeccionista, só confia naquilo que você mesmo faz, acreditando na crença limitadora de que tem que fazer tudo perfeito, e por isso, assume responsabilidades acima do possível, procure convencer-se de que não há necessidade de manter controle sobre todas as situações e que é possível delegar responsabilidades. Comece com pequenas coisas e com pessoas em quem confia. Permita que outras pessoas sintam-se importantes, além de você.

Ao começar o dia, antes mesmo de levantar-se, espreguice seu corpo, estique seus músculos. Não levante correndo, vire-se de lado, apóie seu corpo no antebraço e cotovelo, sente-se, respire fundo e só depois se levante. Procure relaxar durante o banho e faça um gostoso café da manhã. Ou ainda, acorde a pessoa amada com um beijo gostoso, com um carinho, que com certeza ajuda a enfrentar melhor o dia.

No trabalho, depois de algumas horas de concentração intensa, tanto seu corpo como sua mente precisa de um descanso. Pare por uns minutinhos e levante-se, caminhe, alongue seu corpo, se espreguice, respire. Não pense que estará perdendo tempo, porque na verdade você estará recuperando energias. Incentive outras pessoas a fazerem o mesmo. Algumas empresas estão proporcionando esse tempo com meditações ou ginástica, pois perceberam o quanto todos se tornam muito mais produtivos.

Na volta para casa, vez ou outra é saudável encontrar com amigos, mas ficar sozinho também pode ser muito gratificante. O encontro consigo mesma aumenta o auto-conhecimento. Faça de sua casa um lugar aconchegante, em que você goste de ficar. Se morar com alguém, faça desse encontro um momento gostoso para contar seu dia ou ouvir o dele, intensificando o cuidado com o outro e alimentando a relação. Proponha cada dia um fazer massagem no outro, (re)descobrindo pontos de prazer ou apenas para relaxar o corpo de um dia estressante. Que tal um banho relaxante a dois?

Antes de dormir, vá se desligando das preocupações do dia. Mas se algo a preocupa e não consegue dormir, escreva o que está te incomodando, depois poderá analisar a situação e buscar as causas de sua irritação ou insatisfação. Ou ainda, converse com seu companheiro sobre o que está sentindo. Faça meditação, leia um livro. Agradeça por tudo, valorize tudo que conquistou, agradeça pelas pessoas que te amam, por sua saúde, por sua vida e durma em paz!

Amanhã é outro dia, outras conquistas virão, outras dificuldades aparecerão, mas você terá a certeza que será capaz de enfrentar o que for, pois sabe que pode contar acima de tudo com você!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Últimas