Entendendo a arte de meditar

Entendendo a arte de meditar

A prática da meditação ou de qualquer outro método que nos eleve espiritualmente pode ajudar em qualquer momento da vida, mas principalmente para quem está querendo eliminar alguns quilinhos.

A meditação é uma daquelas coisas importantes da vida que não conseguimos descrever de modo objetivo, como o amor, o orgasmo, o êxtase e tantas outras manifestações da consciência que escapam ao campo limitado do racionalismo. A meditação é um fenômeno que pertence a outra esfera da nossa natureza íntima, aquela área misteriosa que alguns gostam de chamar de consciência da alma . Mas nada traduz melhor do que vivê-la na prática ou observar o comportamento dos praticantes da verdadeira meditação.  

Há várias formas de meditar e muitas dúvidas sobre os termos: meditação, relaxamento, regressão, visualização, imaginação ativa. Na verdade o que muda, além dos nomes, é o nível mental em que a pessoa chega.

Há a meditação com o objetivo de não pensar em nada, apenas silenciar a mente, como a contemplação, mas em geral utilizamos técnicas que nos fazem conhecer a essência, o sentido profundo das coisas sobre as quais se medita. Por exemplo, o filme a Festa de Babete mostra um dos modos de meditação verdadeira, parte do filme concentra-se na preparação do jantar. Basta observar Babete trabalhar para entender o que é um estado real de meditação.

Ela se entrega inteira a tarefa, colocando, sobretudo, todo o amor que sente por aquelas pessoas simples que a acolheram e a retiraram numa situação difícil. Os pratos que prepara nesse estado de absoluta dedicação transformam-se em projeções da sua pessoa, daquilo de melhor que existe nela. É, portanto, a sua pessoa que está simbolizada na refeição servida aos convidados, onde todos se beneficiam, absorvendo e se integrando na mesma energia com que Babete a preparou.

Esse mesmo exemplo serve sem dúvida, para quem faz sua própria alimentação. Enquanto cozinha, já reparou que tipo de sentimentos está transmitindo aos alimentos que irá consumir? Se entregar não é uma tarefa muito fácil, pois quem contempla não raciocina, não analisa e nem critica aquilo que observa. Na meditação, ao contrário, o pensamento permanece, estando em total sintonia com o momento, se entregando por inteiro a experiência. Existe uma única condição para isso: estar integrada com aquilo que faz; tão absorta a ponto de não mais haver diferença entre você e o objeto da sua meditação. Você já observou uma criança brincando? Ela se integra e se entrega totalmente ao momento presente.

Meditação, principalmente quando proporciona vantagens imediatas, faz parte dos receituários de muitos médicos. Ela conheceu notável popularidade nas últimas décadas, como forma de enfrentar as tensões da vida moderna. São bem conhecidos seus benefícios à saúde física e psíquica, aumentando o rendimento do trabalho intelectual. O primeiro objetivo da meditação é espiritual: todos os benefícios obtidos decorrem disso. O primeiro passo nesse sentido é controle mental e daí surge uma daquelas definições parciais de meditação: disciplina que busca o domínio da própria mente, de modo a transformá-la num eficiente, dócil e bem treinado instrumento pensante.

A meditação visa facilitar as atividades do cotidiano. Não existe tempo ou lugar para meditação. Há formas básicas de meditação que você pode experimentar agora, sem depender de um instrutor.

Primeiro, sente-se em posição e cadeira confortáveis, numa sala ou quarto calmo e silencioso. Cuide para não ser perturbada nem interrompida durante pelo menos quinze minutos. É melhor que seus pés fiquem no chão e, suas mãos, bem relaxadas sobre o colo. Feche com suavidade os olhos e relaxe por completo. Faça isso aos poucos, começando pelos dedos do pé e subindo devagar até chegar a cabeça. Respire profundamente pelo nariz, concentrando-se até que sua respiração se torne suave e regular.

Se começar a divagar, traga sua atenção de volta para a respiração. E durante todo o processo não fuja do centro de você mesma, da sua verdade pessoal, daquilo que você realmente é no mais profundo do seu ser. Fixe-se nesse centro e permaneça nesse estado relaxado por alguns minutos. Depois abra os olhos e levante-se, esticando seu corpo da cabeça aos pés, como quem espreguiça. Esse simples exercício, uma vez ao dia, pode produzir um dia inteiro de paz.    

Comente

Últimas