Está se sentindo culpada por alguma recaída nesse Carnaval?

Está se sentindo culpada por alguma recaída nesse

O carnaval proporcionou para muitas pessoas uns dias de descanso, onde puderam relaxar sem a preocupação com horários e todas as obrigações que a rotina diária nos causa. Mas, para quem está reeducando a sua alimentação, essa volta pode trazer muita angústia e insatisfação quando não se conseguiu manter os novos hábitos que garantem o resultado esperado.

Assim, muitas pessoas voltam do feriado carregando culpa ao subirem na balança. Principalmente ao confirmarem que não conseguiram eliminar o que pretendiam no período. Ou, ainda, aumentaram seu peso. Se isso aconteceu com você, calma! Não é porque as coisas não aconteceram como esperava que você vai colocar tudo a perder. Lembre-se: você ainda pode começar de novo. Recomeçar não é vergonha nenhuma. Muito pelo contrário. É sinal de reconhecimento que pode fazer diferente.

É preciso tomar cuidado com a culpa, pois ela geralmente vem acompanhada da autopunição, e como é um processo que acontece inconscientemente, pode fazer você se boicotar de qualquer atitude positiva. Acontece mais ou menos assim: há um objetivo que não consegue cumprir, como no caso, não eliminar os quilinhos desejados por não ter mantido o cardápio, os novos hábitos. Por não ter conseguido, culpa-se por isso, se acha incapaz e pensa em desistir de continuar.

Esse desejo de desistir é uma autopunição. Ao desistir, se permite voltar aos velhos hábitos, comendo mais ainda. Conclusão: sente que não consegue ir ao fim em nada do que deseja, auto-estima despenca, autoconfiança vai a zero. Tudo isso acontece por pura falta de compreensão que não é de um dia para outro que conseguirá mudar comportamentos que faz há anos.

A culpa pode dominar uma pessoa fazendo dirigir toda energia destrutiva contra si mesma, selecionando na memória apenas o que é negativo. Com isso, pode acreditar que é uma pessoa muito má e que merece ser castigada.

Rompa esse padrão destrutivo. Identifique seus sentimentos, o que a fez se sentir assim e perceba que há infinitas maneiras de mudar seus comportamentos. Quando se come mais do que estava proposto é natural sentir culpa. Mas, entenda que assumir a responsabilidade porque não agiu de maneira que pretendia é diferente de acusar a si mesma. A culpa nunca leva a mudanças. Mas, assumir a responsabilidade pode fazê-la se libertar do que já foi e ir em frente para criar o peso que deseja.

Se não consegue entender por que comeu mais do que deveria, pense que pode ter sido uma forma de encobrir alguns sentimentos que não queria enfrentar. Quais seriam? O que aconteceu esses dias que te fez comer e não conseguiu ter controle? Quando está insatisfeita, infeliz, você busca consolo na comida? Tende a reprimir certos sentimentos desagradáveis comendo? Faça essas perguntas a si mesma e busque com toda sinceridade as respostas. Elas podem esclarecer alguns pontos importantes sobre seu próprio comportamento.

Se acreditar em você, será vitoriosa. Se tiver dúvidas e quiser desistir a cada obstáculo, se sentirá fracassada e não chegará a lugar algum. Com certeza é a vitória que quer para você. Então, nada de ficar se lamentando pela forma que agiu ou dos resultados que não obteve. Tire de tudo isso uma lição. Não vá ficar alimentando sentimentos negativos dentro de você nem carregando uma culpa que não a levará a lugar algum. O processo de retomada do peso desejado faz parte de todo um processo e isso pode levar um tempo.

Agora você deve ser muito amorosa consigo mesma nesse período. E desistir não fará com que se sinta melhor, mas, com certeza, pior do que pode estar nesse momento. Liberte-se da necessidade de querer ser sempre perfeita, fazer tudo correto. Claro que deseja acertar, usufruir dos seus méritos, mas para isso é preciso estar sempre em constante aprendizado, percebendo que a vida é mesmo assim. Erramos, caímos, aprendemos, levantamos e podemos fazer isso quantas vezes forem necessárias. Afinal, perseverar não é nunca parar, mas recomeçar tantas vezes quantas forem necessárias, não é mesmo?    

Comente

Últimas