Exagerou e está se sentindo culpada?

Exagerou e está se sentindo culpada

As festas acabaram, o ano já começou e parece que agora a razão volta a prevalecer. Muitas pessoas sentem uma terrível sensação de culpa pelos exageros que cometeram. Será que se sentir assim irá efetivamente ajudar ou resolver em algo? Creio que não! Sei que as justificativas são muitas: comidas deliciosas, irresistíveis. Todo mundo come demais e insiste para você acompanhar. Afinal é só uma vez ao ano, não é mesmo?

Mas e agora? O que fazer com os quilinhos a mais que foram adquiridos com o excesso? O que fazer com a culpa? Como recomeçar? E a vergonha de não ter mantido os novos hábitos? As perguntas são muitas. Mas vamos pensar daqui para frente. Foi possível fazer diferente? Se fosse teria feito. Se não fez, foi por algum motivo, ainda que consciente ou inconsciente. Vai adiantar ficar se lamentando?

Mas e agora? O que fazer com os quilinhos a mais que foram adquiridos com o excesso? Repense seus objetivos e comece de novo!

Agora é fazer tudo que deve ser feito: se pesar, repensar o cardápio e os seus objetivos. Primeira pergunta: como você deseja estar no próximo Natal, na próxima passagem de ano? Creio que com uns quilinhos a menos. O que mais deseja conseguir para você? Se continuar a agir como tem agido irá alcançar o resultado que espera? Se desejar ir para a montanha e pegar a estrada que vai para a praia, será que conseguirá chegar no seu destino? Será que se manter os hábitos que têm mantido irá conseguir chegar aonde quer?

Isso é válido em relação a tudo, não só para quem está querendo reeducar seus hábitos alimentares, mas também para aquelas que estão insatisfeitas com suas relações, sejam amorosas, profissionais, familiares, pessoais. E como estão essas relações? Estão te dando prazer? O que depende de você para mudar o que só te faz se sentir infeliz? E, o mais importante, como está sua relação consigo mesma? O que tem feito para você?

Para facilitar, responda também as seguintes perguntas:

O que não gosta de fazer e tem feito? Por quê?

O que você gosta de fazer e não tem feito? Por quê?

O que você gosta de fazer e tem feito? Por quê?

Não responda só mentalmente. Pegue papel e caneta e escreva as respostas, assim ficará mais fácil perceber as possíveis causas de sua insatisfação e o que poderá mudar, caso deseje. Depois de respondido, perceba qual foi a pergunta que mais obteve resposta. Qual lista deseja aumentar? Qual pode diminuir? O que pode fazer para atingir uma meta ideal para você? Valorize o que gosta e tem feito e aumente essa lista.

Agora pense sobre seus sentimentos:

O que você não gosta de sentir e tem sentido? Por quê? Quem é responsável por esse sentimento?

O que você gosta de sentir e não tem sentido? Por quê? Quem é responsável por esse sentimento?

O que você gosta de sentir e tem sentido? Por quê? Quem é responsável por esse sentimento?

Depois de ter respondido todas as questões, reflita sobre suas respostas. Houve mais respostas em qual lista? O que você pode fazer para mudar sua realidade? Esse ano dependerá exclusivamente de você se será um ano de prosperidade, sucesso, conquistas, sonhos realizados, saúde, paz, amor ou se será um ano de mais tristezas, lágrimas, angústias, culpas, frustrações, insatisfações, doenças, dor.

Afinal, depois de toda essa análise, acredito que seja mais fácil responder o que você quer para você. Procure começar por algo que seja interno, como mais amor-próprio, autoconfiança, autoconhecimento, espiritualidade, esperança, fé, vontade, sentimentos que não dependem de ninguém, apenas de você mesma.

Exatamente por essa razão, muitas pessoas desejam alcançar o que é externo, pois se não conseguirem, será mais fácil e confortador responsabilizar alguém por seu fracasso, seja ele qual for. Mas ainda assim é muito mais seguro superar o medo, a incerteza, o risco e ir buscar o que depende apenas de você e que dinheiro algum será capaz de comprar ou alguém de te dar: paz interior!

Ao sentir essa paz, por mais obstáculos que possam surgir à sua frente ou ao seu lado, com certeza será capaz de superar um por um e acreditar que eles serão apenas desvios para que busque quem sabe um outro caminho, possibilitando muito mais crescimento!

Comente

Assuntos relacionados: psicologia festas final de ano culpa exageros

Últimas