Férias! Momento de descanso ou angústia?

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Férias Momento de descanso ou angústia

Julho, mês de férias! Para alguns isso significa viajar, descansar, relaxar. Mas para muitos, principalmente para quem faz um programa de reeducação alimentar, pode ser um período de muita preocupação e até mesmo, angústia.

Quem está se preparando para viajar começa a pensar nas cobranças que terá que enfrentar. O que comer se for para casa de pessoas que não tem muita intimidade? Como manter o cardápio? E se for viajar com a mãe que faz cobranças sem cessar? Ou o

contrário, o que fazer com as mães que não suportam que suas "filhinhas" não comam tudo que elas fazem com tanto amor?

E na hora de fazer a mala? Que roupa levar? Muitas roupas não servem mais - por enquanto - e a angústia começa. E se o sol continuar, como colocar um biquíni com uns quilinhos a mais? Que desculpas dar para justificar se todos forem para a praia e você não quiser ir? Ou se for, irá de shorts, e quem sabe até, de calça? Com tudo isso passando na cabeça, você começa a desejar que faça frio, muito frio! Assim poderá colocar roupas largas, tão confortáveis, não é mesmo?

E se você não vai viajar, mais seus filhos irão, ou até já foram, e você estará sozinha com seu marido, com mais tempo para ficarem juntos, namorarem, tomarem banho juntos, fazerem amor. Não será possível justificar "agora não, as crianças podem aparecer". Não, isso não dá para falar, as crianças não estão em casa. Como dizer que não se sente à vontade em ficar sem roupa na frente dele sem que ele se sinta rejeitado?

E se você não vai viajar, nem seus filhos, mas eles estarão em casa, comendo o tempo todo aquelas guloseimas, aqueles doces, que você simplesmente adora! E ainda pedem que você faça os pratos preferidos, deles e seu, é claro. Como não participar? Ou como participar, mas conseguir manter o cardápio e não cair na tentação de comer só um pouquinho?

A essa altura você já deve estar pensando que não vai conseguir emagrecer, está com vontade de ficar sozinha, sem ver ninguém, muito menos alguém que fique atento a tudo que vai comer, cobrando a todo momento quantos quilos já perdeu. Deseja muito menos ter alguém ao lado que fique insistindo para comer aquilo que você sabe ter muito mais calorias do que a nutricionista sugeriu e que você adora. Você chega a sentir raiva, muita raiva! Com tantos pensamentos passando pela cabeça, você se sente confusa, sem saber como agir e pensa que o mais fácil é desistir, não é mesmo? Claro que não!

A primeira coisa é não se condenar, muito menos se criticar, se cobrar ou se culpar. Nada disso irá resolver. Isso tudo faz mais mal que alguns alimentos calóricos. Tenha a consciência que não deve tentar resolver seus problemas comendo mais, pois irá aumentar ao invés de resolvê-los, concorda? Tenha em mente que a comida não irá sanar nenhum outro problema, pelo contrário, em excesso só te deixará pior.

Se as cobranças externas estão te incomodando, demonstre que não gosta e tenha cuidado para que essas cobranças não se tornem internas dentro de você. Procure não se deixar influenciar com o que ouve, se não pararem de falar, pare você de ouvir. Procure olhar mais para dentro de si mesma sem se preocupar tanto com a opinião dos outros. É VOCÊ a pessoa que importa, a pessoa mais importante.

E o que fazer com a vergonha? Vergonha do seu marido, dos seus filhos, de você mesma? O principal é você se aceitar antes de tudo para que os outros te aceitem, certo? Reveja e mude seus conceitos. Pense também sobre as desculpas com seu marido, não se esqueça que atração e amor não tem nada haver com os quilinhos a mais, concorda?

Se você não está mais sentindo vontade de fazer amor, reflita sobre os reais motivos que podem não ter nada haver com os quilinhos a mais e converse sobre isso com ele.

O importante mesmo é fazer algo por você mesma e superar esses sentimentos negativos, que só fazem se sentir sem valor, sem capacidade para conseguir o que quer. E isso não é verdade!

Diminua sua necessidade de querer agradar a todos e procure agradar mais a você mesma. Lembre-se que cada pessoa tem um hábito alimentar e suas necessidades, procure separar a necessidade do seu filho, seu marido, sua mãe, seus amigos, da sua necessidade nesse momento. O importante não é o que falam, cobram, mas sim o que VOCÊ quer alcançar.

Nada de pensar que vai comer o que puder durante as férias e depois recomeça. Nada disso! Mude seu pensamento agora e pense sobre os resultados desse seu comportamento. Isso parece mais uma punição. Do quê você estaria se punindo ou tentando compensar? Cada vez que você se culpa, sua mente busca algum tipo de punição.

A retomada do peso desejado faz parte de todo um processo e isso pode levar um tempo, você deve sim, ser muito amorosa consigo mesma nesse período. Já pensou se desistir ou relaxar agora como estará se sentindo daqui um mês? Com certeza com muita culpa, querendo que um milagre aconteça. Se conseguir se controlar, manter o programa e eliminar alguns quilinhos, mesmo que em férias, reforçará mais ainda sua confiança em si mesma.

Por isso, procure pensar mais sobre o que faz, principalmente antes de comer. Assim, aprenderá aos poucos a ter mais controle em suas ações. Não vá comendo por comer, analise antes o que está fazendo. Como fazer isso? Conversando muito consigo mesma para identificar seus sentimentos e quando for comer, pense se está com fome ou não, não faça nada sem pensar. Nada mesmo.

Pergunte-se sempre: "Por que vou comer? Estou com fome?" E só coma depois de se dar as respostas. E nada de cobranças ou culpas, mas sim, muito reconhecimento por cada conquista, por menor que você acredite ser. E, se for preciso, leve uma cópia desse artigo e leia quando estiver pensando em desistir.

Não permita que nada, nem ninguém, inclusive você mesma, impeça que consiga o que quer. Acredite acima de tudo em você. Isso faz toda a diferença! Como comenta o I Ching, o oráculo de sabedoria chinês, "as situações não são nada, nossa atitude diante delas é tudo". Boas férias!

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente

Assuntos relacionados: psicologia filhos férias relaxar viajem marido

Últimas