Fuja do vermelho

Como controlar as finanças nesse fim de ano

Fuja do vermelho

Se seu 13º está reservado para as tarefas do fim do ano, talvez esteja optando pela estratégia errada de se preparar para o novíssimo 2014. As cobranças de janeiro e fevereiro, como IPVA, IPTU, matrícula e material escolar das crianças vão esperar por você e é melhor tomar as rédeas das finanças durante esse fim de ano.

Para ajudar no seu planejamento, existem algumas dicas simples para você colocar em prática. Elas são do educador financeiro Reinaldo Domingos, autor do livro Terapia Financeira (Editora DSOP). Olhe só:

1º) Avalie sua situação financeira

Liste todos os seus ganhos do período e inclua na lista o 13º e as possíveis bonificações e férias. Liste, também, todas as despesas que você pode ter durante esse tempo, sejam fixas, como parcelas remanescentes de produtos comprados ao longo do ano, ou variáveis, como o quanto você planeja gastar com a ceia e o presente das crianças.

2º) Planeje-se

Será que depois de listar todos os seus ganhos e gastos existe margem para novas despesas? Pense bem por onde está "escorrendo" seu dinheiro, quais as pendências financeiras da família e avalie o quanto você poderá reservar para comprar presentes e artigos das festas de fim de ano. "É importante identificar os excessos, pois eles representam cerca de 30% das despesas das famílias brasileiras", explica Reinaldo. Além disso, sempre prefira fazer suas compras à vista.

3º) Organize-se

Reserve uma parte de seu 13º para os gastos do começo do ano, evite a todo custo entrar no limite do cheque especial ou pagar a parcela mínima do cartão de crédito e cuidado com o parcelamento de viagens. Afinal, alguns dias de diversão não valem um ano todo apertado e endividado. Talvez uma viagem mais barata ou itens mais simples na ceia possam fazer a diferença no fim das contas.

4º) Evite compras por impulso

Avalie se você está comprando por necessidade ou sendo movida por algum outro sentimento, como carência ou baixa estima. Você realmente precisa daquilo? Reflita se aquele item, de fato, será usado ou se você está comprando-o por estar em promoção ou para quando, por via das dúvidas, precisar.

Ele fará falta caso não seja comprado? Se a resposta for "não", esqueça. Numa época com tantos gastos, é importante que tudo o que for comprado seja estritamente necessário para que os gastos não fujam à sua realidade. É importante, também, que você tenha o dinheiro para comprar à vista, já que a prazo fica muito mais complicado levar a dívida sem se enrolar ou entrar numa bola de neve com os gastos futuros. Além disso, pesquise e peça descontos. "Se um produto custa R$ 1.000 e pode ser parcelado em 10 vezes de R$ 100, certamente à vista custará de 10% a 20% menos", conta o educador.

Para que seu 2014 comece bem, além de manter as rédeas do orçamento durante as festas, é preciso estar atenta aos gastos que se estenderão durante o próximo ano. Não se empolgue pelas vitrines coloridas e brilhantes ou pelos aparentes descontos, porque as coisas ficam, sim, muito mais caras em períodos como Natal e Ano Novo.

E não engane: o seu planejamento com o dinheiro que tem em mãos é apenas para o mês de dezembro. É crucial lembrar que os rendimentos extras, típicos do período, não se estenderão pelo ano seguinte, e que, caso você conte com isso nos parcelamentos ou planos, pode passar por apuros econômicos. "Mas, caso as parcelas sejam inevitáveis, faça uma planilha em que o valor das prestações já esteja sendo previsto", indica Reinaldo.

Mantenha sempre em mente que o prazer e a felicidade de uma noite de festa não valem o sufoco de meses endividada. Pese o custo/benefício de cada compra antes de se decidir e sempre leve em conta o quanto do orçamento já comprometeu com outras dívidas para que não se enrole.

Com atitudes simples e prudentes, é possível economizar, viver bem e fazer ótimas festas durante o fim de ano sem comprometer o ano que virá.


Juliany Bernardo (MBPress)

Comente

Últimas