Manter-se magro: o maior desafio

Manterse magro o maior desafio

Geralmente quando o assunto é emagrecer, não há uma única pessoa que em dias atuais não se interesse pelo assunto. Palpites daqui, observações dali, todos sem exceção já pensaram, já fizeram ou acreditam que estejam precisando fazer alguma "coisinha" para emagrecer, afinal o mundo pede e clama por pessoas bonitas, saudáveis ou pelo menos que estejam na "moda".

Chega a ser cruel a grande procura neste período do ano pelo tão sonhado corpinho. E isto vale tanto para os homens como para as mulheres. O ponto de partida em busca deste ideal sazonal pode ser desde a dieta que uma amiga da prima da vizinha do gerente do banco indicou para a cunhada do amigo do marido, até sérios tratamentos médicos compostos por uma equipe com endocrinologistas, psicólogos, nutricionistas, personal trainer, fisioterapia estética, aparelhos, tratamentos invasivos e medicamentos.

Neste momento vale tudo. O desempenho geralmente é fantástico, com promissores resultados.

"Bendito seja o Verão, o grande aliado dos profissionais que se dedicam durante um ano inteiro e vêem seus méritos e louros sendo colhidos significativamente nesta estação...".

Bom, mas acontece que após o Verão vem o Outono, Inverno, Primavera... E aí, como conseguir manter o corpo do Verão e em todas as outras estações?

Talvez este seja o maior e mais temível desafio. Volto a afirmar que emagrecer não é tão terrível quanto se apresenta ou quanto se brada. Cada experiência é única e, portanto, solitária.

Sofrimentos não são partidários; são comparados. A minha dor sempre será maior que a de qualquer outra pessoa...

Emagrecer é um pouco trabalhoso, desgastante, chato mesmo, mas daí dizer que é puro sofrimento é um grande exagero. Acredito que a fase do manter-se magro seja a mais sofrida.

Em primeiro lugar não gosto da palavra "manutenção". Para mim soa como alguma coisa relacionada à mecânica. Tenho a impressão de ver uma placa pendurada no pescoço como a de elevadores quando se encontram em reparos, ou então, oficina de carro. Ninguém é uma máquina...

Então, sugiro para esta fase do pós-emagrecimento, que haja muita disposição para um período um pouco mais longo. Pense a longo prazo. Sempre.

Quando atingir o objetivo quantitativo, prepare-se para o objetivo qualitativo. Não se julgue poderoso ou sobretudo "dono da situação".

Existe um estudo canadense que afirma: para cada quilo eliminado são necessários exatos 30 dias para que seu organismo se acomode com a nova situação corporal e metabólica.

Em outras palavras, isto quer dizer o seguinte: se emagreceu 10 quilos, 10 meses para seu organismo entender o que aconteceu com ele, fisiologicamente, fisicamente e psicologicamente.

A tarefa não é das mais fáceis... Sem dúvida alguma é um dos grandes desafios do ser humano: exercitar a P-A-C-I-Ê-N-C-I-A.

E como sempre, tudo que for para o melhor, para a sabedoria, há de valer muito a pena!

Comente

Assuntos relacionados: psicologia emagrecer

Últimas