Mimando o melhor amigo

Mimando o melhor amigo

Não importa a raça, idade ou tamanho: não há quem não se derreta quando vê um cãozinho fofo. Aí vale tudo - fazer carinho, assobiar, falar com ele como se fosse uma criança. O fato é que esses animais despertam instintos afetuosos verdadeiros, sentimentos sinceros. No entanto, existem algumas pessoas, loucas por seus bichinhos, que não sabem impor limites e acabam os mimando e mal acostumando.

"Um grande problema é o fato das pessoas projetarem características humanas no cachorro", diz o especialista em comportamento animal Mauro Lantzman, de São Paulo. Ele fala que é um erro olhar para o cachorro e atribuir características como tristeza e carência, por exemplo. Segundo ele, outro erro freqüente é querer tratar o cachorro como se fosse uma criança. "Há quem olhe para um animal e veja uma criança de seis anos totalmente indefesa, quando na verdade é um animal", sentencia.

A veterinária Mariana de Castro Ferreira, do Center Pet, de São Paulo, diz que a globalização humanizou o cachorro e, por isso, atribuímos características humanas a eles, desnecessariamente. "Os animais não ligam para mimos como ofurô, escova de chocolate e chapinha. Esse tipo de cuidado só os expõe ao ridículo".

Mauro, que também é professor de Psicobiologia da PUC-SP, não vê nada de errado em dar carinho para o cachorro e tratá-lo bem. "É importante, no entanto, que o dono saiba manter a hierarquia e mostre para o cachorro qual é o seu lugar".

Assim como ele, Mariana também acha que o que realmente importa é a maneira como o dono impõe limite sobre as atitudes do animal. "Eu acho que o cachorro pode ser mimado, mas é preciso saber o momento de falar sério com ele", pondera.

Um assunto que costuma deixar os donos em dúvida quanto à educação dos cachorros, diz respeito à possibilidade de deixá-lo dormir no quarto. "Não vejo problema algum em permitir que o animal durma no quarto ou, até mesmo, na cama. É importante ressaltar que é preciso que tenha tomado as vacinas e esteja com as patas limpas". Ela completa dizendo que esse tipo de hábito não faz com que o bichinho tenha mais ou menos disciplina. "Existem muitos animais que dormem fora do quarto, em uma casinha de madeira, e são super desobedientes. Tudo depende da autoridade do proprietário".

Outra questão diz respeito ao fato de dar comida de gente para cachorro. "Desde que a comida seja dada de maneira equilibrada, suprindo todas as necessidades nutricionais do cachorro, não há problema em dar comida para ele", declara Mauro. Ele afirma que, se administrada de maneira correta, a comida tem a mesma eficácia que a ração.

Já Mariana acredita que o mais indicado é dar ração para o cachorro. "Existem alimentos que não são benéficos para os animais, como cebola, alho, óleo, azeite e leite", afirma. Além disso, se o dono der comida para o cachorro, ele pode ficar mal acostumado e pedir alimento toda vez que o proprietário estiver fazendo uma refeição. "Eu sou a favor da portinha de isolamento do cachorro no quintal ou na área de serviço. Assim ele não vê quando as pessoas estiverem fazendo as refeições".

Usar ou não usar guia para passear com o cachorro também é um questionamento de muitos. Mauro diz que não há problema em deixar o cachorro solto, desde que não apresente perigo ao animal e às pessoas ao redor. É preciso que o dono tenha bom senso e saiba qual é o momento adequado para deixar o cachorro andar livre.

Ao contrário do que ele diz, a funcionária do Center Pet acredita que o dono deve sempre levar o cão na guia. "Eu acho uma falta de respeito. Ninguém conhece 100% seu cachorro. Ele é um ser irracional e age por instinto", opina.

O cachorro é um animal que precisa de disciplina e pulso firme. No entanto, vale lembrar que não é preciso tratar mal ou bater para fazer com que entenda as regras que precisa obedecer. Pode dar carinho, deixar subir na cama, tratar bem. Se quiser chamar isso tudo de mimo, fique à vontade.

Comente

Últimas