O frio e o humor

O frio e o humor

No Brasil, num país tropical, não existem diferenças muito significativas no clima das diversas estações do ano. Mesmo assim, muitas pessoas apresentam alterações orgânicas e de comportamento com a chegada do frio.

No inverno há um aumento de micro-partículas no ar (poeira, pólen das flores) e uma redução da umidade do ar. Essas condições favorecem o aparecimento de infecções respiratórias, desde um resfriado comum até complicações mais sérias, como pneumonia.

Os idosos e as crianças são mais sensíveis a estas condições e é conveniente procurar orientação médica antes que o quadro se agrave. Há também uma sensação de secura na pele, nos lábios, no nariz e na garganta. Bons cremes hidratantes e maior consumo de água ajudam a amenizar o problema.

O frio exige do organismo um maior gasto energético para a manutenção da temperatura do corpo. Por isso há necessidade de um consumo maior de alimentos. E aí surgem os excessos, pois muitas pessoas mudam seu padrão alimentar. Essa é a principal mudança de comportamento durante o inverno. A grande maioria prefere comidas quentes, como sopas e massas. Assim, mesmo com o aumento natural do apetite, o controle do peso é indispensável. O controle de peso é indispensável.

É preciso continuar com os alimentos pouco calóricos do verão e manter a rotina de exercícios físicos, pois o inverno é um dos principais responsáveis pelo efeito sanfona. O lado bom de maior gasto calórico no inverno é que isso corresponde a maior queima calórica, que pode ser potencializada com exercícios físicos. Os exercícios ajudam a queimar as calorias dos alimentos mais pesados, que normalmente são ingeridos nessa época: feijoada, chocolates, fondue, etc.

As alterações do organismo se refletem no comportamento das pessoas: elas se tornam mais lentas nos gestos, dormem mais, deitam cedo e levantam tarde, e muitas se sentem dominadas pela preguiça. Estas mudanças são involuntárias e decorrem das sensações sentidas pelo organismo.

Os casacos, botas e cachecóis saem do armário e as pessoas se consideram mais elegantes.

O vestuário de inverno disfarça o excesso de peso e as gordurinhas indesejadas. Mas no mês de setembro começa a esquentar e as roupas leves substituem as pesadas. Nesse momento se percebe o custo de ter relaxado durante o inverno. Muitas pessoas precisam "correr atrás do prejuízo" e passam a buscar um emagrecimento rápido, mais difícil e pouco saudável.

No inverno as relações sociais devem ser mantidas num ritmo normal. Nada de refugiar-se dentro de casa para esperar o frio passar. O isolamento poderá causar melancolia e até depressão. Nos países de inverno rigoroso, onde os dias são curtos e as noites muito longas, são freqüentes os sintomas depressivos. As pessoas ficam mais fechadas e mais tristonhas com o inverno muito rigoroso.

Nos dias de inverno aproveite para passear em áreas verdes e sentir o calor do sol em seu corpo, seu coração e em seu ânimo. À noite use um bom casaco e saia em boa companhia para apreciar uma taça de vinho. Esse programa pode ser perfeito, mas cuidado - respeite a lei seca!

Comente

Últimas