O jogo não acabou!

O jogo não acabou

"Dez por cento da vida é feita do que acontece com você, e os outros noventa por cento de como você reage ao que lhe acontece"

Ditado popular

Concordamos com uma coisa: todos nós enfrentamos obstáculos na vida - freqüentemente. Todos nós experimentamos solavancos na vida. Sofrer é inevitável, mas infelicidade é uma opção. Sofrer fará com que você mude, mas não necessariamente para melhor. Você precisa escolher mudar para melhor.

Você pode deixar os obstáculos tornarem-se pedras de tropeço ou transformá-los em degraus. A vida pode torná-lo melhor ou mais amargo. A escolha é sua.

Muitas vezes é difícil perceber a força que advém dos obstáculos, erros e fracassos - especialmente na hora. Mas situações como estas podem tornar você mais forte, se souber aprender com ela.

Aprender não significa ficar repetindo para si mesmo: "Eu nunca mais vou entrar em uma situação assim!" O que você deve se perguntar é o seguinte: "O que eu devo fazer de diferente da próxima vez?", "Quem eu chamaria para me ajudar?", "Que outra abordagem teria me ajudado a superar os obstáculos que eu enfrentei?".

Um obstáculo, erro ou fracasso carrega consigo a oportunidade de fazer uma correção de curso que nos leva de volta ao caminho certo. Aqueles que têm aprendido bem essa lição desenvolveram a resistência e uma atitude que diz: "Nunca vou desistir".

Você já viu o ator James Earl Jones no filme Campo dos Sonhos? Lembra-se da voz de Mufasa, o leão-pai de O Rei Leão, ou da voz de Darth Vader na série Guerra nas Estrelas? A voz desses personagens é de James Earl Jones. Ele ganhou três prêmios Emmy, dois Tony, um Globo de Ouro e um Grammy.

Mas nem sempre foi assim para James Earl Jones. O que pouca gente sabe é que, aos quatorze anos, James era um jovem desajeitado, acanhado e tão gago que evitava falar em sala de aula. Obviamente esse rapazinho, também muito inseguro, andava quase sempre sozinho.

Ainda bem pequeno fora arrancado de sua cidade natal, em Mississipi, no sul dos Estados Unidos e se mudara para um sítio nos arredores do povoado de Dublim, em Michigan. De certa maneira, foi uma mudança para melhor, no que dizia respeito á sua família. Contudo não deixou de ser difícil para James.

Havia ocasiões em que devido a sua gagueira, somado ao seu acanhamento natural, ele se tornava praticamente mudo. Chegou a ponto de comunicar-se com colegas e professores escrevendo bilhetes. Certo dia, o professor de inglês, Donald E. Crouch pediu-lhe que lesse em voz alta um poema que o garoto havia escrito. Dá para imaginar o pavor que o pequeno James sentiu quando se encaminhou para frente da classe e se pôs a ler?

Para surpresa geral, as palavras foram saindo fluentemente. A gagueira desaparecera. Ele gostou de ler em voz alta e queria ler mais. Então, praticou muitas vezes. Por causa de sua habilidade em ler ele ganhou vários concursos e, por fim, uma bolsa de estudos para o curso superior. Participou durante vários anos de peças fora da Broadway e se sustentava trabalhando como zelador. Mas ele nunca desistiu. Ele admite que as falhas e decepções que enfrentou no passado desempenharam papel fundamental na sua vida, fazendo com que se tornasse quem é hoje.

Erwin Lutzer afirmou que "as falhas que cometemos são a porta dos fundos do sucesso". Contudo quem é como eu prefere entrar pela da frente. E algumas vezes dá pra entrar. Todavia, em outras ocasiões, temos a impressão de que a porta da frente está trancada. Ou então, o que é pior, nossa sensação é de que há ali uma sentinela que não deixa ninguém passar. Quem sonha ter algum sucesso precisa dar a volta por trás.

A certa altura de nossa vida, cometemos um erro e nos vemos diante de algum tipo de fracasso. Aí, como já afirmei, temos de tomar uma decisão. Dependendo da resolução que tomarmos, ou seguiremos pela vida atrás de nosso fracasso ou cresceremos e passaremos à frente dele. É "garimpar" o ouro que existe embutido em nossas experiências dolorosas. É tirar toda a riqueza nelas contida.

Algumas pessoas são nocauteadas e, embora se levantem, você pode dizer que permaneceram caídas no interior, que é o que conta.

Levante seu espírito novamente! Volte sua visão para os seus sonhos, objetivos. O jogo ainda não terminou. Você pode fazer muito mais!

Edmund Hillary fez varias tentativas frustradas de escalar o monte Everest antes de obter sucesso. Depois de uma delas ele parou na base da montanha gigantesca e ameaçou-a:

-Vou desafiar você outra vez. Você pode ser grande. Mas eu ainda estou crescendo.

Toda vez que Hillary subia, fracassava. E toda vez que fracassava, aprendia. E toda vez que aprendia, crescia e tentava de novo. Até que um dia não fracassou.

Você continuará a cometer erros e encontrando adversidades durante toda sua vida. Aprenda com seus fracassos. Não desista. Tenha em mente que só existe uma pessoa que nunca falhou. Ela pode ajudar você com seus erros. Quem é? A figura máxima do cristianismo.

Comente

Últimas